Polícia tenta organizar fãs enfurecidos em bilheterias da Copa

sexta-feira, 28 de maio de 2010 09:49 BRT
 

Por Zaheer Cassim

JOHANESBURGO (Reuters) - A polícia foi chamada para controlar multidões enfurecidas tentando comprar ingressos para a Copa do Mundo nesta sexta-feira depois que o sistema de venda de ingressos da Fifa entrou em colapso.

A entidade que comanda o futebol mundial colocou mais 90 mil ingressos à venda, inclusive assentos para a final e as semifinais, antes esgotados, causando uma nova corrida dos sul-africanos.

Algumas pessoas esperaram em fila por mais de 24 horas para conseguir ingressos, mas quando o sistema abriu ele imediatamente entrou em pane, assim como ocorreu no mês passado quando as vendas no balcão começaram na África do Sul.

Filas com excesso de pessoas causaram atrasos nas rotas de transporte diário de Johanesburgo.

O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, divulgou um pedido de desculpas pelos problemas, enquanto a polícia foi chamada para controlar as multidões na cidade. Houve um momento em que os portões para uma das bilheterias foram fechados no distrito de Sandton.

"É a Fifa que não tem um sistema funcionando que está fazendo os sul-africanos parecerem estúpidos porque eles deveriam ter antecipado que isso iria ocorrer", disse uma mulher da fila, Amelia Rawllan.

"Isso é besteira, é completa besteira. As pessoas estão empurrando e não existe ordem", acrescentou Bongwa Mthembu.

Os ingressos estavam à venda em supermercados e em agências bancárias, assim como em balcões especiais, mas todos dependiam do sistema de computadores da Fifa.

O sistema voltou ao ar mais tarde, mas ainda houve muito atraso e filas de fãs enfurecidos.

 
<p>Funcion&aacute;rio da bilheteria fala com a multid&auml;o de f&auml;s do futebol aguardando para comprar ingressos no distrito de Sandton, em Johanesburgo. A pol&iacute;cia foi chamada para controlar multid&otilde;es enfurecidas tentando comprar ingressos para a Copa do Mundo nesta sexta-feira depois que o sistema de venda de ingressos da Fifa entrou em colapso. 27/05/20101 REUTERS/David Gray</p>