África do Sul nega ameaça de terrorismo às vésperas da Copa

domingo, 30 de maio de 2010 16:21 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - As autoridades de segurança da África do Sul negaram no domingo as alegações publicadas por um jornal de que o país enfrenta um alto risco de ataques terroristas durante a Copa do Mundo, que terá início em menos de duas semanas.

O jornal The Sunday Times divulgou um documento da Fundação NEFA enviado a um comitê do Congresso norte-americano de combate ao terrorismo, na semana passada. A fundação, que investiga as atividades terroristas, alerta que ataques simultâneos e aleatórios estavam sendo planejados.

"Eu acredito que há uma chance de 80 por cento de um ataque", teria dito Ronald Sandee, diretor da fundação, segundo o jornal.

A polícia e oficiais da inteligência minimizaram as alegações.

"Eu não sei de onde tiraram essa informação. Temos todas as nossas estratégias e planos preparados", disse o superintendente da polícia, Vish Naidoo.

"Nós recebemos informes da Inteligência todos os dias e não há nada sugerindo o que foi divulgado pelo Sunday Times."

O National Joint Operational and Intelligence Structure (NATJOINTS), que coordena todas as operações de segurança para a Copa do Mundo, também contesta a reportagem.

"As forças de segurança podem firmemente afirmar que não há nenhuma ameaça terrorista contra a Copa do Mundo de 2010 da Fifa. Todos os planos operacionais estão em andamento, as equipes que já estão em seus campos de base estão se movimentando e os destacamentos policiais estão aumentando", disse a entidade em um comunicado.

As autoridades sul-africanas vem afirmando há muito tempo que a posição não-alinhada do país e a falta de qualquer apoio substancial local para grupos militantes deve proteger a África do Sul de ataques entre 11 de junho e 11 de julho, quando acontece o campeonato mundial.   Continuação...