Cornetas sul-africanas ficam durante a Copa, dizem organizadores

terça-feira, 1 de junho de 2010 17:31 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - Não haverá redução das estridentes cornetas 'vuvuzelas' durante a Copa do Mundo apesar das preocupações de que seu barulho poderia abafar os anúncios de emergência, disseram organizadores nesta terça-feira.

O organizador-chefe local, Danny Jordaan, disse na semana passada que os funcionários testariam os níveis de ruído no estádio Soccer City, que deverá lotar quase todos os seus 90 mil lugares pela primeira vez durante um amistoso entre a África do Sul e a Colômbia.

Ele afirmou haver temores de que as cornetas, que soam como uma manada de elefantes, possam abafar os avisos de emergência ou serem desrespeitosas durante a execução dos hinos nacionais.

Perguntado sobre os testes durante coletiva de imprensa na terça-feira, Jordaan disse: "Agora a vuvuzela está na Copa do Mundo. Faz parte desta Copa do Mundo."

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, também defende as trombetas, dizendo que elas são parte do futebol na África do Sul como os cantos em outros países.

Jordaan disse que os torcedores serão orientados a não usar as cornetas durante os hinos nacionais, mas que não haverá proibições.

Durante a Copa das Confederações do ano passado, um ensaio geral para o evento deste mês, jogadores e treinadores estrangeiros se queixaram do barulho.

Durante um amistoso contra a África do Sul no mês passado, o técnico da Tailândia, Bryan Robson, disse não ter conseguido se comunicar com seus jogadores devido às cornetas que, segundo ele, poderiam dar uma vantagem à África do Sul durante a Copa do Mundo.

(Reportagem de Barry Moody)