2 de Junho de 2010 / às 11:12 / 7 anos atrás

Multidão lota estádio por Brasil em dia de festa no Zimbábue

<p>Torcedores festejam antes do amistoso entre as sele&ccedil;&otilde;es de Brasil e Zimb&aacute;bue em Harare, 2 de junho de 2010. Uma multid&atilde;o de torcedores entusiasmados com a presen&ccedil;a da sele&ccedil;&atilde;o brasileira na capital do Zimb&aacute;bue come&ccedil;ou cedo uma longa caminhada de ao menos oito quil&ocirc;metros para assistir ao amistoso entre o Brasil e o time da casa, que promete parar o pa&iacute;s africano nesta quarta-feira. REUTERS/Paulo Whitaker</p>

Por Pedro Fonseca

HARARE (Reuters) - Uma multidão de torcedores lotou o Estádio Nacional de Harare para o amistoso desta quarta-feira entre o Brasil e a seleção da casa, num momento de euforia para o povo de um país marcado há décadas por crises políticas, violência e corrupção.

Considerado um dos mais importantes acontecimentos esportivos da história do Zimbábue, o jogo teve seus 60.000 ingressos vendidos antecipadamente a 10 dólares (cerca de 19 reais), mais de três vezes mais caro que o preço para uma partida da liga local.

Muitos torcedores inclusive ficaram barrados do lado de fora do estádio e houve um princípio de confusão com os policiais que tentavam impedir a entrada. Num determinado momento, os torcedores conseguiram abrir o portão e uma mulher sofreu ferimentos leves após cair no chão.

O governo decretou feriado a partir de meio-dia nos serviços públicos e nas escolas para que a população pudesse assistir pela primeira vez a seleção brasileira no país, e a empolgação com a presença dos jogadores tornou-se o principal assunto do dia nas ruas da cidade.

Sob o título “Meninos do samba estão na cidade”, o jornal estatal The Herald estampou em sua capa uma foto grande do desembarque de Kaká e Luís Fabiano no aeroporto de Harare, na noite de terça-feira, quando milhares de torcedores se aglomeraram para receber os jogadores.

“Essa é uma experiência única que só será repetida em 2034, se tivermos sorte de viver até lá, e então só vai acontecer outra vez em 2058, se nós sobrevivermos a 2034,” disse o ministro do Turismo, Walter Mzembi, em entrevista ao jornal, referindo-se ao sistema de rodízio de continentes na organização dos Mundiais.

Um grande número torcedores seguiu para a partida caminhando a partir do centro da cidade, distante oito quilômetros, e uma enorme fila de carros se formou no entorno do estádio mais de três horas antes do início da partida.

“Nunca pensamos que teríamos a oportunidade de ver o Brasil pessoalmente, estamos muito agradecidos que eles tenham decidido vir ao nosso país. Para alguns de nós, devido a nossa idade, essa é provavelmente a última oportunidade de vermos o Brasil ao vivo, e não na tevê”, disse um espectador, Dean Chikuykwa.

O Estádio Nacional, construído pela China nos anos 1980, passou três anos fechado em reforma, também bancada pelo governo chinês, até ser reinaugurado este ano. No entanto, as condições para o público são apenas razoáveis, assim como o estado do gramado.

O polêmico presidente Robert Mugabe, que governa o país há 30 anos sob acusações de corrupção e fraude, e seu antigo adversário e atual primeiro-ministro, Morgan Tsvangirai, foram ao campo e cumprimentaram os jogadores antes do apito inicial.

ESPORTE FAVORITO

O futebol é o esporte número um do Zimbábue, apesar de o país ocupar apenas a 110a posição no ranking da Fifa e de ter disputado sua última competição oficial em 2006, a Copa Africana de Nações.

O principal jogador do time é Benjani Mwaruwari, que joga no futebol inglês e foi companheiro de Robinho no Manchester City no ano passado. O atacante inclusive foi ao aeroporto receber a delegação brasileira no desembarque.

Para o Brasil, o amistoso representaria a primeira vez que o técnico Dunga poderia colocar em campo o time titular que pretende utilizar na Copa do Mundo da África do Sul, mas o zagueiro Juan foi vetado para o jogo, sendo substituído por Thiago Silva.

Já o meio-campista Kaká, que era dúvida após ter se recuperado recentemente de uma lesão muscular na coxa esquerda, começou a partida como titular e mostrou boa movimentação. O jogador do Real Madrid foi ovacinado quando apareceu no telão do estádio com a camisa 10 da seleção.

Os torcedores do Zimbábue adotaram a barulhenta vuvuzela sul-africana, que eram tocadas no estádio durante o jogo todo, e muitos estavam vestidos inclusive com a camisa do Brasil. Num canto da arquibancada, uma faixa desejava “boas-vindas Brasil”.

A partida é a primeira do Brasil desde a vitória por 2 x 0 sobre a Irlanda no começo de março, e também o primeiro aquecimento do time para o Mundial. Logo após o jogo a seleção voltará para a África do Sul, onde continuará a preparação para o Mundial. Na semana que vem, a equipe enfrentará a Tanzânia, em mais um amistoso.

A estreia na Copa será no dia 15, contra a Coreia do Norte. Depois, o time enfrentará Costa do Marfim e Portugal ainda pela primeira fase do Mundial.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below