Altos preços afastaram torcedor do jogo entre Tanzânia e Brasil

terça-feira, 8 de junho de 2010 14:41 BRT
 

Por Fumbuka Ng'wanakilala

DAR ES SALAAM (Reuters Life!) - A goleada do Brasil por 5 x 1 contra a Tanzânia na segunda-feira, no último amistoso do país antes da Copa do Mundo, teve vários torcedores longe do estádio por conta dos altos preços nos ingressos.

A seleção tanzaniana, conhecida como Taifa Stars, não se classificou para a Copa do Mundo e enfrentou o Brasil apenas um dia depois de ser eliminada pela Ruanda na classificatória da Copa Africana de Nações.

O estádio, com capacidade para 60 mil lugares, tinha várias cadeiras vazias durante o jogo do time cinco vezes campeão do mundo contra o time africano que está na posição de número 108 no ranking da Fifa.

"Como é possível esperar que um cidadão comum da Tanzânia pague 200 mil xelins tanzanianos (cerca de 144,5 dólares) para assistir ao jogo? Isso é completamente injusto", disse Michael Urasa, um taxista, que garantiu que não tinha condições de assistir ao jogo no estádio.

"Apenas os ricos podem pagar esses preços. Falaram que o governo pagou 2,5 milhões de dólares para a Tanzânia jogar contra o time brasileiro. Valeu a pena?"

Os lugares mais caros para o jogo custavam 200 mil xelins tanzanianos, enquanto os mais baratos custavam 30 mil xelins tanzanianos (21,68 dólares) no país africano em que mais da metade da população vive com menos de um dólar por dia. O ingresso mais barato para uma partida da Copa do Mundo está ao redor de 20 dólares.

A Federação de Futebol da Tanzânia disse que os preços dos ingressos foram altos para recuperar o investimento que foi feito para trazer o time do Brasil ao país, um dos favoritos para a Copa do Mundo, que começa na próxima sexta.

O valor pago para a seleção do Brasil não foi confirmado pelo governo, mas foi divulgado que a federação de futebol fez um empréstimo bancário de curto prazo para concluir o negócio.

Os torcedores que conseguiram ir ao estádio para ver a partida se mostraram felizes com o time nacional apesar da derrota. "Os meninos não tiveram resistência ou raciocínio rápido no gramado, mas foi um bom desempenho contra o melhor time do mundo", disse Asha Bakari, uma empresária local.