9 de Junho de 2010 / às 19:35 / 7 anos atrás

SAIBA MAIS-Principais jogadores e as revelações da Copa

PRETÓRIA (Reuters) - A Copa do Mundo oferece a chance de a torcida acompanhar os jogadores mais famosos do mundo, mas abre também a possibilidade de atletas menos conhecidos atingirem reconhecimento global.

Nas próximas listas estão indicados os cinco maiores nomes do torneio da África do Sul e outros cinco que podem chamar a atenção.

CINCO PRINCIPAIS JOGADORES

Lionel Messi (Argentina)

Apontado com potencial de chegar a ser um dos jogadores mais importantes de todos os tempos, Messi sentiu o gosto da Copa do Mundo pela primeira vez quarto anos atrás quando tinha 18 anos. Ele também foi a inspiração que levou o time argentino ao ouro olímpico em Pequim.

Mas foram as suas impressionantes partidas em jogos importantes do Barcelona que levaram especialistas a compararem o jogador com estrelas como Johan Cruyff, Ferenc Puskas e seu compatriota Diego Maradona.

Um finalizador brilhante e um gênio com a bola nos pés, a única dúvida está em saber se seus companheiros de equipe serão capazes de dar as condições que ele precisa para fazer o que sabe.

O desempenho inesquecível de Messi com quatro gols na vitória do Barça contra o Arsenal em abril na Liga dos Campeões será sempre lembrada e, agora, ele tem o melhor palco do mundo para provar que é um talento único que consegue produzir não só para o seu clube, mas também para a seleção do seu país.

Wayne Rooney (Inglaterra)

Capaz de marcar gols de qualquer ângulo e versátil no ataque, o centroavante do Manchester United tem apenas 24 anos e esse torneio está longe de ser a sua última chance de participação em palcos internacionais.

Rooney, que pode atuar com a mesma qualidade isolado no ataque ou atuando junto de um atacante maior, tem tudo o que um bom atacante precisa -- capacidade de ultrapassar os zagueiros na velocidade, liderar o ataque, jogar como um segundo atacante ou rodar por várias posições no gramado. Mas a sua principal característica que gera medo nos zagueiros adversários é a finalização clínica.

Ele pode sofrer por não contar com um companheiro de ataque na seleção inglesa tão perigoso quanto ele, mas se alguém é capaz de suportar o peso de ter que marcar gols e criar oportunidades para os colegas, esse alguém é Rooney.

Cristiano Ronaldo (Portugal)

O estilo espalhafatoso de Ronaldo ajuda o meio-campista do Real Madrid a ter alto valor de mercado, mas é o seu toque de bola refinado, a sua velocidade e criação de jogadas que fazem do jogador de 25 anos um atleta tão importante. Ele pode ser apontado como o antigo ponta, que chegava muito próximo à linha de fundo para cruzar e fazia de bobo os defensores com os seus dribles.

Nesta edição da Copa, Ronaldo tenta aproveitar mais o torneio do que durante a edição passada, quando ele foi criticado por ter tido uma briga com o então colega de Manchester United Rooney.

A dúvida que fica é se ele joga em um time bom o suficiente para que ele possa mostrar toda a sua habilidade.

Kaká (Brasil)

Toda Copa do Mundo precisa de um jogador brasileiro brilhante. Com as ausências de Ronaldinho Gaúcho e Adriano, essa responsabilidade fica sobre o elegante meio-campista Kaká, que deve criar algo especial em campo para o time que tem a exigência de conquistar o torneio sempre que participa.

A temporada de Kaká no Real Madrid foi atrapalhada por várias contusões, mas após experimentar o gosto de ser eliminado na Copa passada, um Kaká em forma jogando à frente de uma seleção brasileira mais equilibrada tem a oportunidade perfeita de mostrar toda a sua classe. Ele tem muita técnica, é um grande passador e tem um instinto de atacante quando está de frente para o gol. É esperar para ver se está totalmente recuperado das lesões.

Samuel Eto‘o (Camarões)

O atleta eleito três vezes como o Jogador Africano do Ano e vencedor por três vezes da Liga dos Campeões da Europa, Eto‘o está sofrendo críticas pesadas do antigo atacante camaronês Roger Milla, que afirma que ele não consegue render quando joga pela seleção.

Dois títulos da Copa Africana de Nações e gols importantes na fase classificatória para a Copa sugerem que as críticas contra Eto‘o podem ser injustas. O torneio oferece uma grande oportunidade para ele finalmente comprovar que é um dos melhores atacantes que já surgiu do continente africano.

CINCO JOGADORES QUE PODEM SURPREENDER

Teko Modise (África do Sul)

Por jogar no futebol sul-africano pelo Orlando Pirates, o meio-campista Modise é pouco conhecido fora do seu continente natal. Mas, agora, o meia de 27 anos tem a oportunidade de mostrar que pode brilhar em um palco global.

Modise é o meio-campista ideal para o estilo de passes rápidos implantado pelo técnico brasileiro Carlos Alberto Parreira. Além de ter uma boa visão de jogo e ser criativo em campo, o atleta é muito rápido. Se ele jogar o melhor que pode, um bom contrato pode surgir para atuar fora do país africano como recompensa.

Ri Myong-guk (Coreia do Norte)

Poucos goleiros na Copa do Mundo terão tanto trabalho quanto Ri Myong-guk, mas o goleiro da Coreia do Norte sempre consegue se destacar quando atua sob pressão.

Ri desistiu de se tornar um atacante para atender a convocação como goleiro para o seu país natal. Nesta Copa, ele vai enfrentar os atacantes mais perigosos do mundo nas partidas da primeira fase contra Brasil, Portugal e Costa do Marfim pelo grupo G.

Ri é uma figura inspiradora para os seus colegas e é conhecido por cantarolar o hino da Coreia do Norte quando as coisas ficam difíceis em campo.

Marek Hamsik (Eslováquia)

O meio-campista de 22 anos com cabelos espetados foi o artilheiro do Napoli nas suas duas primeiras temporadas após assinar como o time do Campeonato Italiano em 2007. Efetivo no lado esquerdo, mas também no centro do gramado, ele foi fundamental para ajudar a Eslováquia a se classificar pela primeira vez para a Copa do Mundo.

Seu ídolo é o meio-campista tcheco Pavel Nedved, que conseguiu fama na Itália por Lazio e Juventus após se destacar na Eurocopa de 96. Com velocidade e boa finalização, Hamsik pode seguir os passos do seu ídolo e atrair o interesse de clubes maiores enquanto atua pela seleção do seu país na África do Sul.

Giovani Dos Santos (México)

Um grande talento que ainda não rendeu o que era esperado dele na Europa - onde não conseguiu espaço tanto no Barcelona quanto no seu clube atual, o Tottenham Hotspur - o atleta metade brasileiro metade mexicano tem brilhado pela seleção.

Ele foi eleito o melhor jogador da Copa de Ouro da Concacaf em 2009 e fez uma partida impressionante contra a Costa Rica nas eliminatórias quando marcou um gol de fora da área e deu assistência para outros dois.

Muito técnico e criativo, ele já foi comparado com Ronaldinho Gaúcho e se o México conseguir ter sucesso com o seu jogo de muitos passes, Giovani com certeza será o principal responsável por isso.

Samir Handanovic (Eslovênia)

A classificação surpreendente da Eslovênia está intimamente relacionada com as grandes atuações do goleiro Handanovic. Ele ficou sete de 12 partidas sem sofrer gols e foi o herói da vitória sobre a Rússia quando evitou o gol dos adversários mesmo com a pressão nos minutos finais.

Capaz de grandes defesas, mas também ótimo na organização do setor defensivo, Handanovic foi apontado pelo técnico da Eslovênia Matjaz Kek como o melhor do mundo. Se ele conseguir provar isso na Copa, pode estar em pouco tempo em um dos grandes clubes do mundo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below