Julio César sinaliza incômodo nas costas em treino fechado

quinta-feira, 10 de junho de 2010 14:53 BRT
 

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - O goleiro Julio César voltou a treinar com o restante da seleção brasileira nesta quinta-feira pela primeira vez desde que sofreu uma lesão nas costas há mais de uma semana. Mas o titular da meta brasileira deu sinais de ainda sentir um incômodo na região lombar durante a atividade.

O treino da parte da manhã na Randburg High School foi o primeiro realizado pelo técnico Dunga com os portões fechados na África do Sul. Mas do lado da fora da escola era possível ver parte do campo, e câmeras de televisão registraram Julio César levando as mãos à região lombar por várias vezes.

Pela movimentação dos jogadores, aparentemente o técnico Dunga comandou um treino coletivo. Após uma breve pausa no treino, o gol que era defendido por Julio César passou a ser ocupado pelo reserva Gomes.

De acordo com a assessoria de imprensa da seleção, todos os jogadores "treinaram normalmente" pela manhã. O treino da tarde será aberto para os jornalistas.

Julio César, considerado um dos melhores goleiros do mundo, sofreu uma pancada nas costas no amistoso do dia 2 de junho contra o Zimbábue, que o forçou a deixar o campo logo aos 25 minutos.

Ele passou dois dias sem treinar, para ser submetido a fisioterapia, e até o treino desta quinta-feira vinha realizando um trabalho separado com o preparador de goleiros Wendell.

Ele não viajou à Tanzânia para o amistoso de segunda-feira contra a seleção local, a primeira partida do Brasil sem Julio César no gol em dois anos.

A comissão técnica da seleção brasileira, e o próprio reserva Gomes, garantiram que Julio César estará totalmente recuperado para a estreia do Brasil no Mundial, contra a Coreia do Norte, no dia 15.

 
<p>Goleiro da sele&ccedil;&atilde;o brasileira, Julio C&eacute;sar, durante treino em Johanesburgo. Julio C&eacute;sar voltou a treinar com o restante da sele&ccedil;&atilde;o nesta quinta-feira pela primeira vez desde que sofreu uma les&atilde;o nas costas h&aacute; mais de uma semana. 10/06/2010 REUTERS/Paulo Whitaker</p>