Cansaço "irreversível" pode prejudicar Messi na Copa

quinta-feira, 10 de junho de 2010 13:18 BRT
 

Por Rex Gowar

PRETÓRIA (Reuters) - A esperança de Lionel Messi de ser coroado como o melhor jogador da Copa do Mundo pode ser destruída por conta da exaustão de uma temporada puxada na Europa, de acordo com o responsável pela forma física da seleção argentina.

"Ele chegou cansado para a Copa do Mundo, os danos já tinham acontecido e são irreversíveis", disse o preparador físico da Argentina Fernando Signorini em entrevista ao site sport.es.

Signorini, preparador físico pessoal de Diego Maradona durante boa parte da sua carreira na Europa, disse que a responsabilidade é muito grande sobre um jogador que vai completar 23 anos daqui duas semanas.

" se preocupam sobre doping, mas não estão preocupados se o atleta teve 70 partidas em um ano", disse ele nesta semana após visitar um laboratório para testes antidoping na Universidade de Pretoria.

Torcedores e a imprensa viram pouco do jogador do Barcelona nas últimas quatro semanas, mas ele participou dos treinamentos da Argentina durante as duas semanas que a equipe está na África do Sul.

Ele ficou de fora da vitória de 5 x 0 no amistoso entre Argentina e Canadá por conta de uma pequena lesão no joelho, e a última partida de Messi no Campeonato Espanhol foi no dia 16 de maio. A última vez que ele jogou pela Argentina foi contra a Alemanha no dia 3 de março.

MILAGRE

Signorini disse que Messi estava fazendo nada mais do que o absolutamente necessário em matéria de preparação física para se recuperar a tempo da estreia da Argentina contra a Nigéria, pelo grupo B, em Johanesburgo no sábado.   Continuação...

 
<p>Lionel Messi e Javier Mascherano (atr&aacute;s) disputam bola durante sess&atilde;o de treino da sele&ccedil;&atilde;o argentina em Pret&oacute;ria. A esperan&ccedil;a de Messi de ser coroado como o melhor jogador da Copa do Mundo pode ser destru&iacute;da por conta da exaust&atilde;o de uma temporada puxada na Europa, de acordo com o respons&aacute;vel pela forma f&iacute;sica da sele&ccedil;&atilde;o argentina. 03/06/2010 REUTERS/Enrique Marcarian</p>