Concentração não é prisão, pode ter sexo, afirma Parreira

quinta-feira, 10 de junho de 2010 19:39 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - O técnico da seleção sul-africana, Carlos Alberto Parreira, disse na quinta-feira que as visitas das parceiras de seus jogadores não são um problema na equipe, um dia antes de os "Bafana Bafana" abrirem a Copa do Mundo contra o México.

O sexo nas competições sempre foi um tema muito comentado no futebol, e Parreira escreveu uma nova linha ao dizer não haver problema que os jogadores recebam as visitas de suas esposas ou noivas.

"Não estamos na prisão nem em um acampamento militar. Todos podem vir ao hotel, esposas, noivas, filhos, não há nenhum problema", disse Parreira em entrevista coletiva.

"Há um lugar especial para as famílias, a cada 5 ou 6 dias damos aos jogadores um dia livre para que fiquem com suas famílias e estejam felizes", completou.

A África do Sul enfrentará na sexta-feira o México no estádio Soccer City de Johanesburgo pelo Grupo A do torneio. Depois da estreia, o time anfitrião jogará contra Uruguai e França. As partidas farão com que a folga dos atletas seja menor que até o momento.

"As chances a partir de agora de estarem livres são menores porque devemos estar mais em campo nos preparando para os jogos", disse o treinador brasileiro, campeão do mundo em 1994.

(Reportagem de Javier Leira)

 
<p>Sele&ccedil;&atilde;o sul-africana desfila pelas ruas de Johanesburgo com o t&eacute;cnico Carlos Alberto Parreira, que liberou sexo e visitas para os jogadores. REUTERS/Amr Abdallah Dalsh</p>