Copa do Mundo começa e deixa sul-africanos eufóricos

sexta-feira, 11 de junho de 2010 18:22 BRT
 

Por Helen Popper

JOHANESBURGO (Reuters) - Da montanha da Mesa a Soweto, os ritmos pulsantes das canções tradicionais e o onipresente ruído das vuvuzelas marcaram o início da primeira Copa do Mundo em solo africano, na sexta-feira.

Pelo menos três pessoas ficaram feridas num tumulto durante a transmissão ao vivo do primeiro jogo em uma das "fan zones" (locais para torcida) de Johanesburgo, segundo testemunhas. Em geral, no entanto, a alegria predominou em todo o país.

Na partida inaugural, os donos da casa saíram na frente, mas nem o gol de empate do México nem uma forte chuva conseguiram calar as vuvuzelas entre o público que acompanhava a transmissão em Bloemfontein, capital do Estado Livre, região de grande influência dos africâneres (colonizadores brancos).

A Copa "uniu a nação (...), a Nação do Arco-Íris se uniu", disse a professora Disebo, 36 anos, torcendo pelos "Bafana Bafana".

Esse clima festivo se repetia em "fan zones" e bares de todas as cidades e também, naturalmente, entre os quase 85 mil espectadores presentes no estádio Soccer City.

"Um empate é melhor que uma derrota, então ainda há esperança de ser líder do grupo (...), esse é o espírito do país", consolava-se Shaun Jooste, 30, que viu o jogo num bar no bairro financeiro de Johanesburgo.

O incidente na "fan zone" do centro da cidade feriu dois meninos e uma menina. Testemunhas disseram que, na hora do começo do jogo, uma multidão avançou sobre uma cerca de segurança.

Só em Johanesburgo há cerca de 12 "fan parks" e outros lugares para exibição ao ar livre, com capacidade para até 100 mil torcedores.   Continuação...