June 13, 2010 / 5:03 PM / 7 years ago

Bolas ruins, campos e vuvuzelas preocupam técnico holandês

3 Min, DE LEITURA

<p>O t&eacute;cnico da Holanda, Bert van Marwijk, encontra defeitos em quase tudo que presenciou at&eacute; agora na Copa do Mundo. 13/06/2010Michael Kooren</p>

Por Theo Ruizenaar

JOHANESBURGO (Reuters) - O técnico da Holanda, Bert van Marwijk, ainda não viu a estreia do seu time nesta Copa do Mundo, mas isso não o impediu de encontrar defeitos em quase tudo que presenciou até agora.

No domingo, foi a bola Jabulani que deixou irritado o treinador holandês, mas a altitude também foi citada como um problema, sem falar das sempre presente vuvuzelas.

"Em toda cobrança de falta que eu vi até agora a bola passou longe do gol, enquanto os cruzamentos se mostraram difíceis de controlar", disse Van Marwijk em coletiva de imprensa após o treinamento do time holandês em preparação ao jogo contra a Dinamarca, pelo Grupo E, na segunda-feira.

"Durante o treinamento na Áustria, nós também tivemos problemas com a bola por conta da altitude, mas durante os amistosos em Roterdã a bola estava normal."

Além dos problemas com a bola e de falar sobre a questionada corneta vuvuzela que fez um barulho ensurdecedor durante os jogos na Copa e foi banida por ele nos treinamentos, Van Marwijk também encontrou tempo para apontar um problema no campo de jogo.

"Os gramados são bons, mas a fundação é mais dura do que estamos acostumados, então é difícil para ficar em pé", afirmou.

'Melhorando as Coisas'

"Sobre o barulho das cornetas (vuvuzelas), jogar com protetores auriculares não é uma opção para os jogadores, já que eles não vão conseguir se ouvir, então isso não ia melhorar em nada a situação", disse.

Outro problema para Van Marwijk é o seu principal jogador, o meio-campista Arjen Robben, que ainda está contundido e não pode treinar com o restante da equipe por conta de uma lesão sofrida na semana passada.

"Robben treina em separado em Wits (na Universidade) e segue o mesmo programa que nós fizemos quando chegamos aqui, é melhor para ele poder usar o campo inteiro", acrescentou.

Mesmo quando tem a sua atenção voltada para o Grupo E, que também inclui Japão e Camarões, Van Marwijk acha difícil se focar no lado positivo, ainda que se seus jogadores sejam apontados como favoritos para passar para a próxima fase.

"Nós sabemos que os dinamarqueses estão muito bem e eles nos conhecem, então nenhum dos lados tem surpresas para o outro", ele disse. "Mas você viu no jogo que ontem, da Inglaterra, que ninguém vence a estreia tranquilamente."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below