Ilha Robben mostra o poder libertador do futebol

segunda-feira, 14 de junho de 2010 09:05 BRT
 

Por Alexandra Hudson

ILHA ROBBEN, África do Sul (Reuters) - Um pequeno mas muito valioso troféu está sendo apresentado em uma cela da prisão na Ilha Robben como um lembrete constante de como o futebol tocou a vida dos ativistas que ficaram presos por lá durante o regime de apartheid.

Prisioneiros políticos na famosa prisão, na qual o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela ficou preso, lutaram por anos pelo direito de jogar futebol e, mais tarde, formaram clubes, uma liga e até associação de árbitros ao passo que os encarcerados abraçavam o jogo com paixão.

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, e o ministro da habitação, Tokyo Sexwale, estão entre os presos que jogaram futebol enquanto estiveram detidos na ilha, um pequeno pedaço de terra inabitável a de 12 quilômetros de distância da Cidade do Cabo.

"O futebol era a nossa vida naquele momento, o ponto alto no final da semana", disse Sedick Isaacs, membro fundador da Associação Makana de Futebol, criada pelos prisioneiros e batizada em homenagem a um líder do grupo étnico Xhosa que foi preso na ilha pelos britânicos um século atrás.

Três anos atrás, a Fifa garantiu participação honorária para a Makana, que durante a sua existência trabalhou sempre sob as regras da organização e manteve registros detalhados.

A história da Makana é um testamento da resistência e do espírito dos prisioneiros anti-apartheid na ilha Robben perante as condições desumanas na prisão, e também da luta deles para manter a dignidade através da organização e dos jogos de futebol.

"Entres nós, havia um grande debate: 'a gente deveria pedir para jogar futebol se a gente não tem comida apropriada? A gente deveria ter comida melhor primeiro e depois jogar'", disse o antigo prisioneiro Marcus Solomon, que foi sentenciado a 10 anos na ilha.

No entanto, os prisioneiros pediram primeiro pelo futebol, mesmo que a dieta pobre deixassem os presos tão fracos que eles quase não conseguissem jogar. No início, eles foram punidos pelos pedidos, mas com a intervenção da Cruz Vermelha, o futebol foi permitido.   Continuação...