Fifa fecha o cerco contra produtos piratas na África do Sul

segunda-feira, 14 de junho de 2010 17:07 BRT
 

Por Gugulakhe Lourie

JOANESBURGO (Reuters) - Algumas bandeiras foram confiscadas durante a partida entre Holanda e Dinamarca pelo Grupo E nesta segunda-feira, parte do plano da Fifa para proteger suas marcas da Copa do Mundo.

O organismo também retirou bandeiras com logotipos de empresas durante o jogo de domingo entre Gana e Sérvia pelo Grupo D em Pretória.

"De fato houve muitas fraudes de uma empresa de Gana durante a partida de ontem (domingo), e pelo regulamento a equipe de Proteção de Direitos da Fifa teve que recolher algumas bandeiras com muita propaganda", disse Nicolas Maingot, porta-voz da entidade, em resposta por e-mail à Reuters.

"A maioria das outras bandeiras nas quais as marcas eram pequenas não foram recolhidas".

Em abril a Kulula, uma empresa aérea local de baixo custo conhecida por seus comerciais humorísticos, concordou em retirar outdoors irônicos em reação a uma carta da Fifa que recebeu ampla cobertura da mídia local.

A propaganda classificava Kulula como a companhia aérea não-oficial do "Você sabe o que" e mostrava bolas de futebol, vuvuzelas e jogadores de futebol.

A Fifa retira a maior parte de seu faturamento, que deve durar até a próxima Copa do Mundo daqui a quatro anos, da venda de direitos de transmissão pela TV e acordos com patrocinadores comerciais.

Mais de 60 por cento da receita da Fifa entre 2007 e 2010 no montante de 3,2 bilhões de dólares deriva de direitos de transmissão, e cerca de 30 por cento de marketing comercial.