15 de Junho de 2010 / às 20:25 / 7 anos atrás

Brasil sofre com retranca mas vence Coreia do Norte por 2 x 1

<p>Maicon comemora com jogadores gol na vit&oacute;ria do Brasil por 2 x 1 sobre a Coreia do Norte na estreia na Copa. REUTERS/Siphiwe Sibeko</p>

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - O Brasil precisou de quase uma hora de futebol para conseguir superar a retranca da Coreia do Norte, mas conseguiu uma apertada vitória por 2 x 1 em sua estreia na Copa do Mundo da África do Sul, nesta terça-feira, numa noite gelada no estádio Ellis Park, em Johanesburgo.

Com um passe para o gol de Maicon e tendo feito seu próprio gol, ambos no segundo tempo, o meia Elano foi o destaque da seleção, que no entanto levou um gol nos minutos finais de Ji Yun Nam, premiando uma atuação taticamente eficiente da Coreia do Norte.

Com a vitória, o Brasil lidera o Grupo G com três pontos, após o empate sem gols de Costa do Marfim e Portugal, que têm um ponto cada. Os norte-coreanos, em sua primeira participação num Mundial desde 1966, permanecem com zero.

“Ainda temos grandes seleções pela frente, mas começar vencendo é sempre importante”, disse Maicon, autor do primeiro gol do Brasil no Mundial, após o jogo, disputado sob frio de 1 grau Celsius.

Contra um adversário que se fechou na defesa, com oito jogadores atrás da linha da bola na maior parte do tempo, faltou criatividade à seleção brasileira para abrir o marcador mais cedo. A atuação apagada de Kaká deixou o time carente de um armador.

O primeiro gol aconteceu após bola enfiada em profundidade por Elano para Maicon pela direita. O lateral chutou com força, praticamente sem ângulo, e a bola fez uma curva antes de balançar as redes do goleiro Ri Myon Guk, exatos 10 minutos depois do intervalo.

Elano fez o segundo aos 26, dessa vez aproveitando passe de Robinho por trás da linha defensiva norte-coreana, e logo depois deixou o campo substituído por Daniel Alves.

Como esperado, os norte-coreanos entraram em campo com o objetivo de se defender e sair nos contra-ataques. Uma linha de cinco defensores, protegida por três volantes, fechou de forma eficiente os espaços para a seleção brasileira.

O Brasil, que já tinha tido problemas contra seleções fechadas nas eliminatórias - empatou por 0 x 0 em casa com Bolívia, Colômbia, Venezuela e Argentina - sofreu mais uma vez para encontrar o caminho do gol, e não criou nenhuma ameaça real em toda a primeira etapa.

Sem receber a bola na frente, Robinho era obrigado a recuar, deixando Luís Fabiano isolado no meio dos zagueiros. Sozinho, o atacante cometeu seguidas faltas na disputa pela posse de bola. “Gostaria de ter feito gol, atacante está ali para isso, mas o jogo foi pegado, nós não criamos muitas jogadas”, lamentou.

O técnico Dunga reconheceu que seu time foi lento no primeiro tempo e viu a marcação adversária como “quase perfeita”.

“No início a gente estava mudando a bola de um lado para o outro não tão rápido e no segundo tempo a gente melhorou”, disse após a partida.

KAKÁ SUBSTITUÍDO

A falta de ritmo de Kaká, que teve uma temporada atrapalhada por lesões, foi um dos motivos para a dificuldade encontrada pelo ataque do Brasil. O problema ficou claro logo na primeira jogada do meia, com menos de um minuto.

Ele foi facilmente desarmado na entrada da área pela defesa norte-coreana após receber passe de Robinho, que já tinha se livrado de dois adversários com pedaladas pela esquerda. Depois o camisa 10 ainda tentou criar algumas jogadas, mas após ter errado completamente uma virada de bola para Elano, acabou se encolhendo e limitou-se a passes curtos para o lado.

O meia acabou substituído aos 33 minutos por Nilmar, segundo Dunga, “para dar mais velocidade” ao time. Mas Kaká comemorou o simples fato de ter passado a maior parte da partida em campo.

“Claro que tem muita coisa para melhorar, mas como estreia valeu. Espero para a próxima partida poder jogar mais tempo e em boas condições”, disse.

Apesar da postura defensiva, os norte-coreanos não abriram mão dos contra-ataques, principalmente no primeiro tempo. Tiveram uma primeira chance com o atacante Jonng Tae Sae, num chute cruzado defendido por Julio César, e o meia Mun in Guk até tentou encobrir o goleiro num chute quase do meio-campo, que também foi defendido sem problema.

Depois de sofrer o primeiro gol, a equipe asiática acabou se desorganizando e deu espaço para o Brasil melhorar. Porém, aos 44 minutos do segundo tempo, Ji Yun Nam fez boa jogada pela esquerda e chutou forte para vencer o goleiro brasileiro.

A seleção brasileira volta a campo no dia 20 para enfrentar a Costa do Marfim, e vai encerrar sua participação na primeira fase contra Portugal no dia 25.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below