Maradona verá rosto familiar em partida contra Coreia do Sul

quarta-feira, 16 de junho de 2010 07:10 BRT
 

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - O técnico da seleção argentina, Diego Maradona, verá um rosto familiar quando sua equipe enfrentar a Coreia do Sul na segunda partida das duas equipes no Grupo B do Mundial no estádio Soccer City na quinta-feira.

O técnico sul-coreano Huh Jung-moo recebeu a missão de parar Maradona na partida de estreia das duas seleções no Mundial do México em 1986, um jogo lembrado em Buenos Aires pela força usada pelos sul-coreanos contra o astro argentino.

"Me lembro de Huh muito bem", disse Maradona após o sorteio das chaves da Copa colocar as duas equipes no mesmo grupo em dezembro. "Em 1986 os coreanos jogaram taekwondo, não futebol, contra nós."

Maradona entrou naquela partida se recuperando de uma lesão, e a tática sul-coreana era fazer tudo que pudessem para pará-lo.

Eles, no entanto, falharam, pois Maradona foi brilhante naquela partida e liderou sua equipe rumo à vitória por 3 x 1, que abriria caminho para a conquista do título mundial na final contra a Alemanha Ocidental.

A Argentina e a Coreia do Sul, que desde 1986 só se enfrentaram uma vez, vão para a partida de quinta-feira animadas com vitórias em suas partidas de estreia. A Argentina venceu a Nigéria por 1 x 0, enquanto os sul-coreanos bateram a Grécia por 2 x 0.

Maradona tem somente uma dúvida para a partida, o meio-campista Juan Sebastián Verón, que sofreu uma lesão na panturrilha direita contra a Nigéria e não treinou na terça-feira.

Embora deva poder contar com Verón, Maradona provavelmente esperará até o último minuto para tomar uma decisão sobre se o jogador poderá ou não atuar.   Continuação...

 
<p>T&eacute;cnico da Coreia do Sul, Huh Jung-moo, durante sess&atilde;o de treino no est&aacute;dio Nelson Mandela. O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o argentina, Diego Maradona, ver&aacute; um rosto familiar quando sua equipe enfrentar a Coreia do Sul na segunda partida das duas equipes no Grupo B do Mundial na quinta-feira. 11/06/2010 REUTERS/Denis Balibouse</p>