16 de Junho de 2010 / às 14:58 / 7 anos atrás

Portugal irá abandonar jogo cauteloso, diz técnico

<p>O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o portuguesa, Carlos Queirozk durante sess&atilde;o de treino no est&aacute;dio Nelson Mandela. Queiroz disse que sua sele&ccedil;&atilde;o n&atilde;o pode mais ser cautelosa se quiser ir para a segunda fase da Copa do Mundo. 14/06/2010 REUTERS/Jose Manuel Ribeiro</p>

Por Martin Petty

PORT ELIZABETH (Reuters) - O técnico de Portugal Carlos Queiroz insiste em dizer que seu empate sem gols com a Costa do Marfim não foi uma vergonha, mas disse que sua seleção não pode mais ser cautelosa se quiser ir para a segunda fase da Copa do Mundo.

Queiroz admitiu que seu time refreou o avanço para evitar cair na armadilha do contra-ataque dos Elefantes, mas afirmou que Portugal não pode mais se conter nos jogos restantes do grupo mais difícil do Mundial.

“Este resultado não nos envergonhou. Este é o grupo mais duro e só dois times irão adiante”, disse ele sobre o Grupo G do pentacampeão Brasil, que derrotou por 2 x 1 uma Coreia do Norte teimosa e determinada na terça-feira.

“Havia preocupação, nervosismo, normalmente atacamos mais. Fomos cautelosos e equilibrados para evitar os contra-ataques”.

Queiroz, que conduziu os semifinalistas de 2006 durante as eliminatórias, não tinha nada de negativo para dizer de sua equipe, que pareceu lenta, nervosa e atormentada pelos marfinenses.

Queiroz aparentou desdenhar a Coreia do Norte, um gesto perigoso dada a determinação do recluso Estado para conquistar o respeito do mundo com seu futebol.

“É importante jogarmos com inteligência. Portugal agora vai jogar com um time que não é candidato a seguir adiante, e a nossa última partida (contra o Brasil) não é hora de jogar na defesa”, disse ele.

“Como todos os times, agora vamos colocar todas nossas cartas na mesa. Nossa defesa será completamente diferente nas próximas partidas”.

Mas mesmo com uma mudança tática, o poder de fogo de Portugal pode ser um problema, especialmente dada sua dependência do jogador mais caro do mundo, Cristiano Ronaldo, que não conseguiu marcar nas eliminatórias nem tampouco no primeiro confronto de sua seleção no Mundial.

A ausência de Nani, contundido, é outra preocupação no ataque, além do mau momento de Simão Sabrosa e de seu substituto Danny.

Mas Queiroz disse que Portugal tem mais cartas na manga e não se preocupa em jogar bonito.

“Não me importo se formos o primeiro ou o segundo, só quero seguir em frente”.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below