Holandesas pagam fiança após serem detidas por propaganda ilegal

quarta-feira, 16 de junho de 2010 15:49 BRT
 

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - Uma corte sul-africana libertou duas holandesas acusadas de propaganda ilegal para uma cervejaria na Copa do Mundo sob fiança de 1.319 dólares e adiou o caso para daqui uma semana.

"Seus passaportes foram confiscados e o caso foi adiado para 22 de junho", informou o coronel Vish Naidoo, porta-voz da polícia, nesta quarta-feira.

As duas mulheres foram ligadas a uma suposta campanha irregular da cervejaria Bavaria em uma partida da Copa do Mundo.

"Estas mulheres, que são parte de um grupo maior, são suspeitas de estar envolvidas na realização de atividades comerciais ilegais durante o jogo entre Dinamarca e Holanda na segunda-feira", comunicou a polícia sul-africana na quarta-feira.

As prisões ocorreram depois que a Fifa questionou um grupo de 36 holandesas que assistiam à partida em vestidos laranjas sumários.

Os vestidos, feitos pela holandesa Bavaria, chamaram a atenção de especialistas de olho em propagandas irregulares.

Autoridades holandesas disseram que a detenção das duas mulheres foi "desproporcional".

"O ministro das Relações Exteriores da Holanda declarou acreditar não ser correto que as mulheres sejam encarceradas por usar vestidos laranjas em um estádio", disse o porta-voz da embaixada holandesa, Christophe Prommersberger, aos jornalistas na saída da corte de Johanesburgo.

A Budweiser, do grupo Anheuser Busch, é a cerveja oficial do Mundial, e a Fifa protege com veemência seus patrocinadores.

 
<p>Torcedores holandeses celebram ap&oacute;s vit&oacute;ria da Holanda na Copa da &Aacute;frica. Corte sul-africana libertou duas holandesas acusadas de propaganda ilegal para uma cervejaria. REUTERS/Michael Kooren</p>