Cervejaria está dando apoio à holandesas presas na Copa

quinta-feira, 17 de junho de 2010 09:23 BRT
 

AMSTERDÃ (Reuters) - Uma cervejaria holandesa está dando suporte legal e assistência para duas holandesas que foram acusadas de promover um golpe publicitário ilegal durante a Copa do Mundo em Johanesburgo.

Elas faziam parte de um grupo de mais de trinta mulheres que usavam vestidos laranjas sumários em uma estratégia de propaganda ilegal supostamente realizada pela cervejaria Bavaria em uma partida entre a Holanda e a Dinamarca na segunda-feira.

"Infelizmente, a Bavaria foi envolvida na confusão relacionada com a prisão de duas mulheres usando vestidos laranjas que também são utilizados por várias mulheres na Holanda e torcedoras de futebol," disse, em nota oficial, a cervejaria na quarta-feira.

"Não é possível que a Fifa veja essas mulheres como responsáveis, já que elas apenas participaram de um jogo vestindo a cor da Holanda e a Bavaria está fazendo todo o possível para ajudar as holandesas presas," disse a nota da Bavaria.

A Budweiser, da Anheuser Busch, é a cerveja oficial do torneio, e a Fifa protege agressivamente os seus patrocinadores de marcas que não são parceiras da entidade.

"A Bavaria vai pedir para a Fifa parar imediatamente de intimidar torcedoras da Holanda," disse a cervejaria holandesa.

A Bavaria já teve conflitos com a Fifa antes com torcedores que usavam roupas de cor laranja dentro do estádio. Quatro anos atrás, na Copa do Mundo da Alemanha, dezenas de holandeses assistiram um jogo só de cuecas após fiscais no estádio ordenarem que eles removessem os calções laranja com o nome da Bavaria.

"Estamos nos sentindo um pouco usadas pela Bavaria," disse Cindy van Dieren, segundo o jornal holandês Daily Telegraaf, citando uma das mulheres que usavam o vestido.

A Bavaria argumentou em sua nota que o objetivo da manobra era "despertar prazer e entusiasmo" entre os torcedores e que os vestidos não carregam "nenhum logotipo ostensivo da marca

".

As mulheres foram soltas após pagar fiança de 10.000 rands (1.319 dólares) cada uma e vão prestar depoimento na próxima semana. Autoridades holandesas disseram que a prisão das mulheres foi "desproporcional."

 
<p>F&atilde;s holandeses comemoram ap&oacute;s vit&oacute;ria contra a Dinamarca no est&aacute;dio Soccer City. Uma cervejaria holandesa est&aacute; dando suporte legal e assist&ecirc;ncia para duas holandesas que foram acusadas de promover um golpe publicit&aacute;rio ilegal durante a Copa do Mundo em Johanesburgo. REUTERS/Michael Kooren</p>