Chefs espanhóis deixarão herança a cozinha sul-africana

quinta-feira, 17 de junho de 2010 15:52 BRT
 

Por Iain Rogers

POTCHEFSTROOM, África do Sul (Reuters Life!) - Se depender do chef sul-africano Gideon Joubert, porções generosas de cozinha espanhola serão servidas em Potchefstroom muito depois que os campeões europeus tiverem partido.

Joubert é o encarregado da cozinha da nova Vila Esportiva da Universidade North West, onde Fernando Torres, Cesc Fabregas e seus companheiros de equipe se hospedam, e têm aprendido os segredos da cozinha espanhola com os dois chefs que viajam com a delegação e são responsáveis por sua alimentação.

O cozinheiro de 30 anos natural de Lichtenburg disse que a ênfase em ingredientes frescos foi o que mais chamou a sua atenção.

"Esta experiência está abrindo minha mente e expandindo meus horizontes sobre como se prepara comida", disse Joubert à Reuters nesta quinta-feira.

"Os sabores são simples, mas deliciosos, e o frescor da comida dá água na boca", acrescentou.

"Fico triste por durar só seis semanas. Ficaria mais feliz se fossem quatro meses".

Quando o restaurante da Vila Esportiva abrir para o público após a Copa do Mundo, Joubet disse que irá aplicar o que pegou de Xabier Arbizu, o chef basco que cozinha para a seleção pela quinta vez em um Mundial.

"Queremos implementar a maioria das coisas que aprendemos e colocar um pouco da herança espanhola", disse ele.

"A cultura alimentar sul-africana é muito aberta a influências estrangeiras", acrescentou, citando as cozinhas indiana e japonesa. "Agora também vamos acrescentar a espanhola na mistura".