June 19, 2010 / 5:56 PM / 7 years ago

Árabes torcem por Argélia na Copa e rezam por vitória sobre EUA

4 Min, DE LEITURA

JOHANNESBURGO (Reuters) - Árabes balançaram as bandeiras da Argélia no sábado após a seleção do país desafiar as expectativas e segurar um empate com a Inglaterra na Copa do Mundo, mantendo as esperanças do único time do norte da África de se classificar para a próxima fase.

A Argélia agora irá encarar os Estados Unidos no sábado em Pretória, um jogo que os árabes devem acompanhar atentamente, não apenas por causa do futebol, mas porque todos desejam uma vitória árabe sobre a superpotência.

Se a política ou a economia não faz, então o futebol irá fazê-lo.

"Nós queremos vitória sobre os Estados Unidos --se não podemos vencê-los política ou economicamente, nós ao menos podemos fazer isso no futebol", disse o comentarista esportivo líbio Mohamed Barakat.

Enquanto Washington está alinhada politicamente com os governos de muitos países do Oriente Médio, os árabes há muito tempo reclamam que a política dos Estados Unidos está por trás dos seus conflitos e problemas econômicos.

A invasão dos EUA ao Iraque gerou um sentimento anti-americano generalizado.

Grupos muçulmanos e pan-árabes apareceram na rede social Facebook pregando apoio à Argélia.

Bandeiras argelinas foram desfraldadas nas ruas da capital do Sudão, Cartum, local onde eles se classificaram para sua primeira Copa do Mundo em 24 anos.

Um jornal libanês disse que a Argélia "complicou" o time da Inglaterra na sexta-feira na Cidade do Cabo.

As nações árabes podem não contar com grande prestígio na história do futebol internacional, mas muitos dizem que este jovem time, com muitos de seus jogadores atuando em clubes europeus, pode mudar esta tendência.

Muitos esperavam que a Inglaterra humilhasse a Argélia, desfalcada por contusões e sem seu principal atacante.

Mas depois de medíocres 90 minutos, eles conseguiram frustrar qualquer tentativa inglesa de marcar, forçando um empate em 0 x 0, irritando os torcedores ingleses, que vaiaram a equipe.

Mesmo alguns egípcios foram capazes de esquecer a sua amarga derrota para a Argélia, que negou aos campeões da África um lugar na primeira Copa do Mundo em solo africano, num jogo rancoroso e marcado pela violência, que desencadeou uma crise diplomática entre as nações árabes.

"Eu queria que a Argélia vencesse o jogo porque é o único time árabe que restou na Copa do Mundo", disse o taxista egípcio Mahmoud Bassiyouny.

Um oficial de segurança egípcio disse: "Se (a Argélia) ... vencer os norte-americanos eles podem avançar à próxima fase. Seria uma honra para os árabes."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below