Dunga reclama de violência rival e da expulsão de Kaká

domingo, 20 de junho de 2010 19:32 BRT
 

JOHANESBURGO (Reuters) - O técnico Dunga reclamou que a arbitragem da partida entre Brasil e Costa do Marfim falhou em coibir as faltas dos africanos e classificou a expulsão de Kaká como "totalmente injusta" na vitória brasileira de 3 x 1 neste domingo.

Com o resultado, o Brasil avançou para as oitavas-de-final da Copa do Mundo da África do Sul, mas o assunto mais comentado por Dunga foi o árbitro francês Stephane Lannoy.

"Foi um jogo muito complicado, de muita força física, de faltas. Todos nós que gostamos de futebol pedimos sempre por um espetáculo bonito de se ver, mas as pessoas que têm que controlar o espetáculo também tem que saber o que é futebol e o que não é futebol", afirmou Dunga em entrevista coletiva.

"É difícil jogar um futebol arte quando um árbitro deixa as coisas passarem, como foi hoje."

Para o treinador, a expulsão de Kaká nos minutos finais da partida por ter recebido dois cartões amarelos foi "totalmente injusta".

"No primeiro cartão, ele tomou a falta e recebeu o amarelo", disse Dunga. "Este jogo estava bom para mim. Eu ia poder fazer faltas e o juiz ia me dar parabéns", acrescentou ele, lembrando da época de volante.

Segundo Dunga, os jogadores da seleção brasileira mostraram maturidade por não terem revidado as duras faltas cometidas pelos marfinenses.

"Desde que a gente chegou aqui, a gente tem conversado que tem que terminar com 11. Hoje foi uma prova dura, eles (os brasileiros) mostraram maturidade. Apanharam do começo ao fim e não revidaram. O foco deles tem que ser jogar futebol. Se nós quisermos bater, falar, vamos perder o foco e não vamos conseguir jogar o futebol que todo mundo conhece", afirmou.

LUíS FABIANO: 'RESPOSTA POSITIVA'   Continuação...

 
<p>O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o brasileira, Dunga, reage durante jogo contra Costa do Marfim. REUTERS/Paulo Whitaker</p>