Sindicato sul-africano espera fechar acordo salarial com estatal

segunda-feira, 21 de junho de 2010 11:06 BRT
 

Por James Macharia

JOHANESBURGO (Reuters) - O maior sindicato da África do Sul disse ter esperança de que novas rodadas de negociações salariais nesta segunda-feira com a estatal de energia Eskom evitem uma greve que poderia interromper o suprimento de eletricidade durante a Copa do Mundo.

"Espero que não chegue a uma greve", disse Lesiba Seshoka, porta-voz do Sindicato Nacional de Mineradores (NUM no original em inglês), que na semana passada alertou que seus membros podem cruzar os braços em uma ação que poderia prejudicar o setor.

"Estamos preparados para dar uma chance às negociações, mas se não houver uma resolução vamos convocar uma greve".

O sindicato, que representa cerca de metade dos 32 mil funcionários da empresa, quer um aumento de salário mais de três vezes superior à taxa de inflação de 4,8 por cento, além de um auxílio-moradia.

A Eskom ofereceu um aumento de 8 por cento e um pagamento único de um por cento como auxílio-moradia. Analistas veem como provável um acordo de última hora.

Seshoka disse que os sindicatos estão dispostos a dar uma chance às conversas durante alguns dias após serem aconselhados por um mediador a conter as ameaças de greve.

Caso a greve ocorra, dois outros sindicatos disseram que podem se unir à paralisação, aumentando a preocupação com o suprimento de energia da maior economia africana.

Uma autoridade da Eskom afirmou que as conversas devem acontecer na tarde desta segunda-feira e podem durar alguns dias para tentar evitar a greve.   Continuação...