Patrocinadores da França começam a se distanciar após escândalo

segunda-feira, 21 de junho de 2010 15:25 BRT
 

Por Julien Ponthus e Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) - Após os escândalos do final de semana, os patrocinadores começam a se distanciar da seleção francesa.

O Crédit Agricole disse nesta segunda-feira ter cancelado sua campanha televisiva com o time, que no domingo boicotou uma sessão de treino em apoio ao atacante expulso Nicolas Anelka.

"Estamos suspendendo nossa campanha de seguros com a seleção francesa", declarou uma porta-voz do banco francês sobre a propaganda programada para ser veiculada a partir do dia 25 de junho.

A empresa de fast food Quick decidiu no final de semana parar de usar um comercial de TV com Anelka e a Procter and Gamble disse que irá cancelar uma campanha da marca Pringles que inclui o jogador expulso.

Uma porta-voz da GDF Suez disse ser parceira da equipe francesa e da federação nacional de futebol até 2014.

"É uma parceria global. Após a Copa, com certeza iremos discutir o formato dessa parceria. É preciso que se saiba que, de cada 100 euros dados à federação, 70 vão para o futebol amador", disse ela.

A Adidas declarou estar "surpresa e entristecida", mas que irá manter seu patrocínio, que termina este ano.

"A Adidas continuará com a parte francesa de sua campanha internacional até o final da participação da equipe na competição", disse o comunicado da filial francesa.   Continuação...