22 de Junho de 2010 / às 16:02 / em 7 anos

África do Sul derrota França, mas se despede do Mundial

Por Mark Gleeson

<p>Jogador da &Aacute;frica do Sul Bongani Khumalo (esq) comemora gol contra a Fran&ccedil;a pelo Grupo A da Copa do Mundo. Apesar de vencer por 2x1, a sele&ccedil;&atilde;o sul-africana foi eliminada na primeira fase. 22/06/2010 REUTERS/Adnan Abidi</p>

BLOEMFONTEIN (Reuters) - A seleção da África do Sul bateu uma França apática por 2 x 1 nesta terça-feira, mas se tornou a primeira seleção anfitriã a ser eliminada na primeira fase de um Mundial.

Os sul-africanos, comandados pelo brasileiro Carlos Alberto Parreira, abriram o placar aos 20 minutos com Bongani Khumalo. Cinco minutos depois, a França ficou em desvantagem numérica também dentro de campo, com a expulsão de Yoann Gourcuff.

Gourcuff deu uma cotovela em MacBeth Sibaya ao saltar para uma disputa de bola na cara do gol, mas o gesto não pareceu intencional.

Com um a mais, Katlego Mphela ampliou aos 37 para os donos da casa. Mas a África do Sul não aproveitou novas chances e chegou a acertar uma bola na trave.

Precisando de mais gols para chegar à segunda fase, os Bafana Bafana foram para o ataque e permitiram que a França diminuísse aos 25 do segundo tempo com Florent Malouda.

PARREIRA ANIMADO

Apesar de entrar para a história como primeiro técnico de uma seleção anfitriã a ser eliminado ainda na primeira fase de um Mundial, o resultado deu a Parreira sua primeira vitória em Copas do Mundo com uma seleção que não fosse a brasileira. Ele também já dirigiu as seleções de Kuweit, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos em Mundiais.

“Tenho orgulho dos meninos. Deram orgulho ao país e mostraram progresso”, disse Parreira, animado, apesar da eliminação.

Já Domenech, técnico da problemática França, declarou: “Como todo mundo, estamos tristes e decepcionados, mesmo tendo visto nesse jogo um pouco do que esperava do time, alguma raça, generosidade e soldariedade”.

O capitão Patrice Evra, pivô do boicote da seleção ao treino de domingo em protesto contra a expulsão do atacante Nicolas Anelka da equipe francesa, não entrou em campo.

“Agora não é hora de analisar o que aconteceu”, disse Domenech. “Este time tem potencial de verdade. Houve momentos extraordinários e haverá mais. A seleção francesa jamais morrerá, vai seguir em frente”.

O Uruguai, que derrotou o México por 1 x 0, liderou o Grupo A e garantiu vaga nas oitavas-de-final ao lado dos mexicanos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below