Parreira fica à beira das lágrimas na despedida da África do Sul

terça-feira, 22 de junho de 2010 16:11 BRT
 

Por Mark Gleeson

BLOEMFONTEIN (Reuters) - Carlos Alberto Parreira estava à beira das lágrimas ao se despedir da África do Sul nesta terça-feira, com o orgulho intacto apesar do fim da aventura da seleção anfitriã na Copa do Mundo.

O brasileiro de 67 anos atuou como técnico em seis Mundiais, mas venceu seu primeiro jogo com outro país que não o Brasil quando os sul-africanos derrotaram a França por 2 x 1 em sua última partida pelo Grupo A.

O resultado não bastou para obter uma vaga na segunda fase do torneio, mas garantiu uma saída honrosa. Parreira conteve a emoção ao refletir sobre seus dois períodos no comando do time da casa, o segundo deles iniciado em novembro passado e encerrado com somente uma derrota em 15 partidas.

"Estou feliz por ter trabalhado para este país, e eles me apoiaram. Existe um significado real quando as pessoas dizem estar orgulhosas de você. Não tínhamos nada antes, mas o que fizemos aqui foi uma grande conquista", disse ele em coletiva de imprensa.

"O que esses meninos fizeram por mim nos últimos sete meses, tenho que agradecê-los muito. Estou muito feliz por isso".

Parreira disse acreditar ter deixado um terreno fértil para seu sucessor. O presidente da Associação Sul-Africana de Futebol, Kirsten Nematandani, declarou à Reuters nesta terça-feira que seu substituto será anunciado antes do final do Mundial.

"Se tenho orgulho de algo, é de dar a este time uma identidade. Agora eles têm que olhar para frente, para a próxima Copa das Nações Africanas e depois disso as eliminatórias da próxima Copa do Mundo", que será sediada no Brasil.

"Eu disse a eles que quero ser seu guia no Mundial de 2014 no Brasil. Estou esperando por eles lá", acrescentou.

 
<p>O t&eacute;cnico Carlos Alberto Parreira comanda a sele&ccedil;&atilde;o da &Aacute;frica do Sul contra a Fran&ccedil;a, em sua &uacute;ltima partida no Mundial. REUTERS/Jorge Silva</p>