Técnico francês se recusa a cumprimentar Parreira após derrota

terça-feira, 22 de junho de 2010 16:24 BRT
 

Por Neil Maidment

BLOEMFONTEIN (Reuters) - A França encerrou uma campanha desastrosa na Copa do Mundo com mais uma polêmica depois que o técnico Raymond Domenech se recusou a apertar a mão do brasileiro Carlos Alberto Parreira, técnico da África do Sul, que lhe impôs uma derrota de 2 x 1 nesta terça-feira.

O placar eliminou as duas seleções do Mundial neste que foi o último jogo dos dois técnicos. México e Uruguai garantiram as vagas nas oitavas-de-final pelo Grupo A.

Domenech, entretanto, reservou o que lhe restou de boa vontade para seus jogadores e compatriotas e nenhum para o treinador dos Bafana Bafana.

O francês, que cumprimentou membros de seu conflituoso time com um aperto de mão após a partida, se recusou a explicar por que esnobou Parreira.

O brasileiro foi mais direto, embora um tanto chocado.

"(Domenech me disse) não quero falar com você porque você disse coisas ruins sobre meu time... eu juro que não lembro do que disse", declarou o técnico aos repórteres.

Parreira contou que um assistente da França lhe disse que ele "fez um comentário no sentido de que a França talvez não devesse estar aqui" depois do polêmico gol de mão de Thierry Henry que permitiu à França se classificar em uma partida eliminatória contra a Irlanda.

"Não me lembro de ter dito isso", afirmou Parreira.

Vice-campeões quatro anos atrás, os franceses terminaram na lanterna do grupo com um ponto após um empate e duas derrotas em uma campanha assolada por disputas internas que levaram à expulsão do atacante Nicolas Anelka do time e de um boicote dos jogadores a uma sessão de treino.

 
<p>T&eacute;cnico franc&ecirc;s Raymond Domenech se recusou a cumprimentar o treinador da &Aacute;frica do Sul, Carlos Alberto Parreira, ap&oacute;s partida pelo Grupo A da Copa do Mundo. REUTERS/Adnan Abidi</p>