CURTAS-Repórteres interrompem reunião de empresa para ver treino

quarta-feira, 23 de junho de 2010 15:22 BRT
 

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - Quando o assessor de imprensa da CBF avisou os jornalistas que eles teriam que deixar o treino da seleção brasileira após o aquecimento dos jogadores, dezenas de repórteres partiram em disparada para o prédio de uma empresa próxima para tentar assistir ao coletivo que seria comandando pelo técnico Dunga.

Autorizado pela chefia, o segurança da companhia de limpeza e reciclagem abriu o portão para quase 50 jornalistas, que foram guiados por uma funcionária até a varanda do segundo andar, de onde era possível assistir ao treino realizado na Saint Stithians College.

No caminho até a varanda, os repórteres, fotógrafos e cinegrafistas passaram inclusive no meio de uma reunião entre dirigentes da empresa, que se divertiram com a visita inusitada. "Estamos cobrando ingresso", disse um dos executivos a um repórter que chegou atrasado ao ponto de observação.

SEM RECONHECIMENTO

Assim como acontecera antes do jogo com a Costa do Marfim no estádio Soccer City, em Johanesburgo, a seleção brasileira também não poderá fazer o treino de reconhecimento do estádio Moses Mabhida, em Durban, local do jogo de sexta-feira contra Portugal, para preservar as condições do gramado.

Com o cancelamento, o treino da seleção foi remarcado pela Fifa para o estádio Princess Magogo, utilizado pelo time de futebol sul-africano Amazulu Footbal Club.

Nigéria e Coreia do Sul, que jogaram no Moses Mabhida na terça-feira, também não fizeram o reconhecimento do estádio para poupar o gramado, que terá três dias de descanso até o jogo Brasil x Portugal.

Com o inverno de temperaturas recordes para o mês de junho na África do Sul, os organizadores estão encontrando problemas com o gramado tanto dos estádios como dos locais de treinamentos.   Continuação...