CURTAS-Crianças de Durban realizam sonho de conhecer Kaká

quinta-feira, 24 de junho de 2010 16:26 BRT
 

Por Pedro Fonseca

DURBAN (Reuters) - Cerca de 30 crianças do bairro de KwaMashu, no subúrbio pobre de Durban, perseguiram o ônibus da seleção brasileira nas ruas próximas ao estádio Princess Magogo, onde a equipe treinou nesta quinta-feira, e como recompensa puderam acompanhar o treinamento.

Os meninos e meninas jogavam bola perto do estádio quando avistaram o ônibus da seleção, e então partiram em disparada atrás dos jogadores. O nome mais gritado era o de Kaká. Ao chegar ao estádio, as crianças foram inicialmente impedidas de entrar pela segurança, até que um funcionário da CBF autorizou o grupo a assistir o treino de um local da arquibancada.

Assim que os jogadores entraram em campo eles se encaminharam na direção das crianças, com Kaká à frente. Eles posaram para fotos e distribuíram autógrafos. No fim do treino, as crianças ainda ganharam algumas bolas de futebol oficiais da Copa do Mundo entregues pelos jogadores da seleção.

DUNGA: REENCONTRO

Ao entrar em campo para o treino, o técnico Dunga também ouviu seu nome chamado da arquibancada, mas não eram as crianças. Um ex-jogador japonês, com quem o treinador brasileiro jogou no Jubilo Iwata, está na África do Sul como jornalista e compareceu ao treinamento brasileiro. Dunga inclusive recebeu um presente do ex-companheiro, com que ficou conversando através de uma grade antes do início da atividade da seleção.

GRAMADO PREOCUPA

As más condições do campo no estádio Moses Mabhida, que impediram Brasil e Portugal de realizarem seus treinamentos no local antes da partida de sexta-feira entre as equipes, pode prejudicar a qualidade do jogo, uma vez que as duas seleções são formadas por jogadores técnicos que gostam de trocar passes rápidos, de acordo com o técnico Dunga.

O estádio de arquitetura espetacular, construído especialmente para a Copa do Mundo, tem sofrido críticas pela qualidade do gramado, que apresenta muitas falhas nas duas áreas e também no meio-campo. Segundo o treinador brasileiro, tanto Brasil quanto Portugal terão o estilo de jogo prejudicado se o campo não estiver adequado.

"O estádio é um dos fatores para que se tenha um bom espetáculo, principalmente quando são jogadores técnicos e a bola tem que rolar rápido", disse Dunga a jornalistas.

 
<p>Crian&ccedil;as do bairro de Kwa Mashu, no sub&uacute;rbio pobre de Durba, correm perto do &ocirc;nibus da sele&ccedil;&atilde;o ao chegar a treino antes de jogo contra Portugal. REUTERS/Yves Herman</p>