Brasil se preocupa com provável jogo defensivo do Chile

sexta-feira, 25 de junho de 2010 18:54 BRT
 

Por Pedro Fonseca

DURBAN (Reuters) - A seleção brasileira já está preocupada com a eventual tática defensiva que a equipe chilena colocará em prática no duelo das oitavas de final da Copa do Mundo, na segunda-feira, depois de sofrer diante de defesas fechadas na primeira fase da competição.

Após perder por 2 x 1 para a Espanha, o Chile será o adversário do Brasil no início do mata-mata e, segundo o atacante Luís Fabiano, a seleção precisará encontrar uma forma de passar pelo esquema defensivo que deverá ser montado pelos rivais sul-americanos.

"Vai ser a mesma coisa, um paredão ali na frente do gol", disse o camisa 9 do Brasil após o empate por 0 x 0 contra Portugal, nesta sexta-feira, a respeito da seleção chilena, que classificou-se em segundo lugar do Grupo H e jogará com o Brasil em Johanesburgo.

"A seleção tem que buscar uma solução daqui para frente para furar os bloqueios, porque agora serão só jogos decisivos", acrescentou Luís Fabiano, que marcou dois gols na Copa, ambos na vitória do Brasil por 3 x 1 sobre a Costa do Marfim.

Em seus dois primeiros jogos na Copa do Mundo, o Chile não sofreu um gol sequer -- venceu Honduras e Suíça por 1 x 0 --, mas desperdiçou a chance de terminar como líder do grupo ao perder para a Espanha nesta sexta-feira.

O técnico do Chile, o argentino Marcelo Bielsa, mandou seu time para o ataque nas duas primeiras partidas e teve diversas oportunidades para marcar mais gols. Contra os espanhóis, o time sul-americano foi um pouco mais cauteloso, o que pode se repetir diante do Brasil na segunda-feira.

Dunga, avaliando os prováveis rivais da próxima fase, disse que "a Espanha joga um futebol um pouco mais avançado, assim como Chile", mas acrescentou que "quando jogam contra o Brasil, as seleções têm um cuidado especial".

Eficiente quando joga nos contra-ataques, mas tendo dificuldades para enfrentar times fechados na defesa, a seleção brasileira tem reclamado do estilo de jogo das equipes adversárias. Na opinião dos brasileiros, Portugal, por exemplo, entrou em campo apenas para se defender e não deixou o Brasil jogar.   Continuação...

 
<p>Gilberto Silva e Cristiano Ronaldo brigam por bola durante empate em 0 x 0 pela Copa do Mundo: sele&ccedil;&atilde;o j&aacute; se preocupa com prov&aacute;vel jogo defensivo do Chile, nas oitavas. REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>