26 de Junho de 2010 / às 14:32 / 7 anos atrás

Maradona define 'time de gala' contra o México

<p>Maradona gesticula antes de coletiva. Diego Maradona "passou por cima" de v&aacute;rios rep&oacute;rteres em uma coletiva de imprensa lotada, neste s&aacute;bado, para abra&ccedil;ar o amigo e ex-companheiro de Napoli Salvatore Bagni antes de dizer que sua Argentina deve bater o M&eacute;xico no Mundial.26/06/2010.Enrique Marcarian</p>

Por Rex Gowar

PRETÓRIA (Reuters) - Diego Maradona "passou por cima" de vários repórteres em uma coletiva de imprensa lotada, neste sábado, para abraçar o amigo e ex-companheiro de Napoli Salvatore Bagni antes de dizer que sua Argentina deve bater o México no Mundial.

As coletivas de Maradona durante a Copa do Mundo se transformaram em um show à parte que se iguala ao progresso de seu "time de gala" rumo à segunda fase do torneio, quando enfrentará o México no estádio Soccer City, em Johanesburgo, no domingo, às 15h30 (horário de Brasília).

O zagueiro Walter Samuel ainda sofre com um problema muscular na perna que forçou sua substituição por Nicolas Burdisso na vitória por 4 x 1 sobre a Coreia do Sul e Maradona disse que Burdisso poderá substituí-lo também no domingo.

"Se ele não estiver 100 por cento, ele não será capaz de nos dar a ajuda que precisamos", afirmou Maradona, após retornar para sua posição em frente das câmeras e repórteres depois do forte abraço no italiano Bagni, que atua como comentarista no torneio da África do Sul.

"Mesmo conhecendo-o ao longo desses anos, Diego sempre faz algo que te surpreende", disse Bagni, que conquistou o título do Campeonato Italiano ao lado de Maradona com o Napoli em 1987.

Maradona declarou: "Vou escalar o melhor time que tenho em respeito pela camisa da Argentina. Sempre vou escolher meu time de gala na Copa."

ESTRADA ESTREITA

Maradona disse ainda que o México tem um time que merece respeito, mas "é melhor que eles saibam respeitar a nossa história. A Argentina tem o que é preciso para seguir adiante".

"Quando a estrada se estreita com os 16 melhores times, a história entra em campo e tenho certeza de que meus jogadores entenderam a mensagem", afirmou Maradona, que foi o capitão no segundo título argentino, no México, em 1986.

"Já vi tudo isto... Durante toda a minha vida eu peguei a experiência que hoje passo para os meus jogadores com toda minha alma e coração, contando para os rapazes 'como foi para mim'."

Ele disse, no entanto, que o México "tem um grupo de jogadores que nos preocupa. Se (o atacante argentino naturalizado mexicano Guillermo) Franco não jogar, será melhor, porque eles não terão um cabeceador".

Maradona afirmou ainda que pensou que o técnico do México, Javier Aguirre, poderá escalar Rafael MÁrquez na defesa, "porque contra o Uruguai ele pareceu um pouco perdido no meio-campo". O Uruguai venceu o México por 1 x 0 em sua partida na primeira fase.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below