26 de Junho de 2010 / às 16:22 / 7 anos atrás

ENTREVISTA-Jogo entre Brasil e Chile traz lembranças a Zamorano

Por Gideon Long

PRETÓRIA (Reuters) - A partida entre Chile e Brasil na segunda-feira por uma vaga nas quartas-de-final da Copa do Mundo irá reavivar as memórias de um dos grandes jogadores chilenos, Ivan Zamorano.

O ex-atacante de Real Madrid e Inter de Milão enfrentou o Brasil na mesma fase do Mundial de 1998, na França. Os brasileiros venceram por 4 x 1, o Chile voltou para casa e Zamorano nunca mais disputou uma Copa do Mundo.

Doze anos depois, ele está de volta como comentarista de TV e acredita que o time do técnico Marcelo Bielsa tem chance de se vingar daquela derrota.

"Acho que os meninos do Bielsa estão prontos para qualquer coisa", disse Zamorano à Reuters. "Tudo se resume a um jogo agora, e aconteceu comigo na França, em 1998."

"Ficamos entre os 16 melhores, enfrentamos o Brasil em seu melhor e tudo terminou para nós, mas você sempre pode sonhar em ir o mais longe possível."

Zamorano fez parte de uma seleção chilena que tinha dois atacantes excepcionais - ele e Marcelo Salas - mas tinha suas deficiências em outros setores. Em contraste, o atual time não tem nenhum grande nome, mas é mais forte no geral.

O Chile terminou em segundo, atrás do Brasil, nas eliminatórias sul-americanas, com 32 gols marcados e ganhando a reputação de um futebol vibrante.

"Nós temos um bom time", disse Zamorano. "Acredito que, no geral, oferecemos algo diferente."

"Acho que Bielsa incutiu sua filosofia nos jogadores e vimos isso refletido em campo. O Chile não está interessado em defender, a única coisa que importa para o time é o ataque."

Zamorano, que marcou 34 gols para o Chile em 69 partidas disputadas com a camisa de sua seleção, declarou que estava encantado por ver as seleções da América do Sul se saindo tão bem na Copa do Mundo.

"Quase todas terminaram em primeiro em seus grupos e estão jogando de uma maneira que tem muito a ver com a identidade sul-americana no futebol", disse ele.

Ele contou que seu trabalho como comentarista foi muito mais difícil do que jogar futebol, mas estava feliz por estar de volta ao torneio mais importante do esporte.

"Foi algo impressionante poder jogar a Copa do Mundo de 1998 e agora estou aproveitando o Mundial de outro lado, e, acima de tudo, estou gostando do que o Chile está fazendo."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below