CBF garante que proteção de Julio César é autorizada pela Fifa

sábado, 26 de junho de 2010 14:12 BRT
 

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - O goleiro brasileiro Julio César tem autorização da Fifa para jogar com uma proteção nas costas, que foi vista pela primeira vez após o jogador levar um pisão no local no empate por 0 x 0 com Portugal, garantiu neste sábado a Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A proteção usada por Julio César, que nunca tinha sido revelada, ficou à mostra quando o jogador precisou trocar de camisa após uma dividida com o português Raul Meirelles na partida em Durban.

Tanto o goleiro quanto os integrantes da comissão técnica brasileira ficaram visivelmente incomodados com a exposição do equipamento, que aparentemente é composto de uma peça dura em formato de "u" presa a uma cinta.

O chefe de comunicação da CBF, Rodrigo Paiva, afirmou que todo o equipamento utilizado pelos jogadores é inspecionado pela Fifa, e minimizou a presença de uma peça de metal no equipamento, o que é proibido pelo regulamento da federação internacional.

"A única coisa que tem de metal são as presilhas da cinta. É uma cinta normal que ele já usa há dois anos no clube dele e na seleção, apenas para dar mais confiança", disse Paiva a jornalistas, neste sábado, durante treino da seleção no Saint Stithians College.

Julio César ficou de fora do último amistoso do Brasil antes do Mundial, a vitória por 5 x 1 sobre a Tanzânia, justamente com dores na região lombar, após ter levado uma pancada no local na partida anterior, contra o Zimbábue.

Essa foi a primeira vez em mais de dois anos que a seleção jogou sem Julio César, que é considerado um dos melhores jogadores do mundo na posição.

Depois do empate com Portugal, o goleiro afirmou que não sente qualquer incômodo nas costas e disse que usa a proteção também em seu clube, a Inter de Milão, onde teve uma excelente temporada e conquistou os títulos da Copa Itália, Campeonato Italiano e Liga dos Campeões.   Continuação...

 
<p>Goleiro da sele&ccedil;&atilde;o brasileira Julio C&eacute;sar recebe atendimento m&eacute;dico durante partida em que o Brasil empatou em 0 x 0 com Portugal no est&aacute;dio Moses Mabhida, em Durban, na &Aacute;frica do Sul, sexta-feira, 25 de junho de 2010. REUTERS/Jose Manuel Ribeiro</p>