Não se intrometam no futebol, diz Fifa a autoridades francesas

sábado, 26 de junho de 2010 17:27 BRT
 

Por Andrew Cawthorne

JOHANESBURGO (Reuters) - A Fifa alertou os políticos franceses, neste sábado, para tomar cuidado de não interferir na gestão do futebol nacional em meio a reuniões com o alto escalão do governo para tratar da saída traumática do país da Copa do Mundo.

"Conversei com o escritório da ministra dos Esportes e disse a eles para terem cuidado", revelou o secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke.

"Há uma autonomia do movimento esportivo e não pode haver nenhuma interferência política no que aconteceu."

A campanha na África do Sul dos finalistas do Mundial de 2006 é difícil de ser pior. Os jogadores se revoltaram com a exclusão do atacante Nicolas Anelka da seleção por ter insultado o técnico, e a França terminou em último lugar em seu grupo depois de um empate e duas derrotas.

Tamanha é a angústia nacional que o presidente Nicolas Sarkozy pediu uma mudança no futebol e se encontrou com o capitão Thierry Henry.

A ministra dos Esportes, Roselyne Bachelot, criticou "os líderes imaturos da gangue" que estava em campo e disse que o pedido de demissão do presidente da Federação Francesa de Futebol, Jean-Pierre Escalettes, é inevitável.

"Definitivamente, nós vamos olhar o que a França está fazendo", disse o francês Valcke, durante coletiva de imprensa no estádio Soccer City, em Johanesburgo.

"Resumindo, isso significa que ninguém pode pedir que alguém peça demissão. A pessoa é eleita. Se ele achar que falhou de alguma maneira, então, ele pode se demitir. E, então, as eleições terão de ser organizadas."   Continuação...