Gyan marca na prorrogação e Gana mantém sonho africano na Copa

sábado, 26 de junho de 2010 19:26 BRT
 

Por Mark Gleeson

RUSTEMBURGO (Reuters) - Um ataque espetacular de Asamoah Gyan na prorrogação colocou Gana nas quartas de final da Copa do Mundo após a vitória por 2 x 1 sobre os Estados Unidos, neste sábado.

Gyan recebeu um passe profundo do meio-campo, passou por dois defensores e disparou um chute venenoso, que fez Gana igualar a melhor performance de um time africano na Copa do Mundo.

O gol aconteceu depois de Gana sofrer longa pressão dos norte-americanos, com as seleções indo para a prorrogação depois do empate em 1 x 1 no tempo regulamentar.

Gana, que enfrenta o Uruguai pelas quartas de final na sexta-feira, no Soccer City, em Johanesburgo, é apenas a terceira seleção africana a chegar a esta fase do Mundial depois de Camarões em 1990 e Senegal, em 2002.

"Sou o homem mais feliz do mundo", disse Gyan após a partida. "Fico satisfeito que a África esteja feliz com nossa classificação para as quartas de final. Deixamos a África orgulhosa, não somente Gana, mas toda a África."

Os Estados Unidos lutaram muito depois de um primeiro tempo lento, quando viram Kevin-Prince Boateng abrir o placar para o adversário aos cinco minutos de jogo.

Landon Donovan, que foi o herói da dramática classificação norte-americana às oitavas-de-final no meio da semana, empatou com uma cobrança de pênalti aos 17 minutos da etapa complementar.

Boateng, que nasceu na Alemanha, roubou a bola de Ricardo Clark no meio-de-campo e arrancou em direção ao gol, chutando da entrada da área e abrindo o placar para Gana. Um perfeito começo para a última seleção africana nesta Copa do Mundo.   Continuação...

 
<p>Asamoah e Mensah, da sele&ccedil;&atilde;o de Gana, comemoram ap&oacute;s vit&oacute;ria do time africano sobre os Estados Unidos que deu &agrave; equipe classifica&ccedil;&atilde;o para as quartas de final da Copa do Mundo. Gana venceu os EUA por 2 x 1 no est&aacute;dio Royal Bafokeng, em Rustemburgo neste s&aacute;bado. REUTERS/Siphiwe Sibeko</p>