27 de Junho de 2010 / às 14:16 / em 7 anos

Robinho cobra velocidade da seleção para furar retrancas

<p>O atacante brasileiro Robinho concede entrevista no domingo.Paulo Whitaker</p>

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - Robinho assistiu do banco de reservas ao empate de 0 x 0 de Brasil e Portugal, e viu a dificuldade enfrentada pela seleção brasileira para passar pela bem montada defesa adversária. Para o atacante, o time precisa de mais velocidade.

Poupado contra Portugal após sentir dores musculares na coxa esquerda, o jogador voltará a campo na segunda-feira para as oitavas de final contra o Chile, mais um adversário que deve priorizar a defesa para dificultar as ações da seleção brasileira.

"Temos que aprender a jogar contra as seleções que jogam na defesa, porque a maioria das equipes contra a gente joga assim. Acho que o segredo é jogar com velocidade e pelos lados do campo para encontrar os espaços", afirmou neste domingo o atacante, antes do treino final do Brasil para o jogo.

"Tocar a bola rápido, porque a maioria das seleções vem para jogar atrás. Quanto mais velocidade a gente impor, mais difícil fica para o marcador deles", insistiu Robinho, que garantiu estar totalmente recuperado para o confronto contra os chilenos.

Apesar da classificação para as oitavas de final em primeiro lugar do grupo, a seleção brasileira voltou a apresentar na Copa do Mundo a mesma dificuldade para jogar contra times fechados que marcou a campanha da equipe nas eliminatórias sul-americanas.

Diante da fraca seleção norte-coreana, apenas a 105a colocada do ranking da Fifa e que levou uma goleada de 7 x 0 de Portugal, o Brasil passou apertado por 2 x 1, só tendo conseguido abrir o marcador 10 minutos depois do intervalo graças a um chute perfeito do lateral-direito Maicon.

Se contra a Costa do Marfim o Brasil venceu por 3 x 1, quando teve mais espaço para contra-atacar, a seleção não saiu do 0 x 0 com Portugal, num jogo em que os portugueses reforçaram a marcação uma vez que precisavam apenas do empate para se classificar.

Contra o Chile, equipe que tentou atacar o Brasil nas eliminatórias e acabou perdendo tanto em casa (3 x 0) como fora (4 x 2), os jogadores brasileiros acreditam que terão mais uma vez um adversário mais preocupado em se defender.

"Nos outros jogos o Chile jogou mais na frente, mas contra o Brasil as outras seleções tendem a mudar a forma de jogar e ficam mais na defesa", afirmou Robinho, referindo-se às partidas dos chilenos da primeira fase da Copa contra Honduras (1 x 0), Suíça (1 x 0) e Espanha (1 x 2).

Além da volta de Robinho, o Brasil também terá os retornos de Kaká e Elano para o próximo jogo, o que significa que o técnico Dunga colocará em campo a formação ofensiva considerada por ele ideal, com Luís Fabiano completando o ataque.

Suspenso contra Portugal, após a expulsão diante dos marfinenses, Kaká será o homem responsável por tentar dar mais velocidade ao time. Julio Baptista, que o substituiu no último jogo, teve atuação muito apagada e por vezes prendeu demais a bola.

"A gente sabe que tanto eu como o Kaká somos jogadores importantes para o grupo, pela experiência e o entrosamento que temos", destacou Robinho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below