Robinho cobra velocidade da seleção para furar retrancas

domingo, 27 de junho de 2010 11:14 BRT
 

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - Robinho assistiu do banco de reservas ao empate de 0 x 0 de Brasil e Portugal, e viu a dificuldade enfrentada pela seleção brasileira para passar pela bem montada defesa adversária. Para o atacante, o time precisa de mais velocidade.

Poupado contra Portugal após sentir dores musculares na coxa esquerda, o jogador voltará a campo na segunda-feira para as oitavas de final contra o Chile, mais um adversário que deve priorizar a defesa para dificultar as ações da seleção brasileira.

"Temos que aprender a jogar contra as seleções que jogam na defesa, porque a maioria das equipes contra a gente joga assim. Acho que o segredo é jogar com velocidade e pelos lados do campo para encontrar os espaços", afirmou neste domingo o atacante, antes do treino final do Brasil para o jogo.

"Tocar a bola rápido, porque a maioria das seleções vem para jogar atrás. Quanto mais velocidade a gente impor, mais difícil fica para o marcador deles", insistiu Robinho, que garantiu estar totalmente recuperado para o confronto contra os chilenos.

Apesar da classificação para as oitavas de final em primeiro lugar do grupo, a seleção brasileira voltou a apresentar na Copa do Mundo a mesma dificuldade para jogar contra times fechados que marcou a campanha da equipe nas eliminatórias sul-americanas.

Diante da fraca seleção norte-coreana, apenas a 105a colocada do ranking da Fifa e que levou uma goleada de 7 x 0 de Portugal, o Brasil passou apertado por 2 x 1, só tendo conseguido abrir o marcador 10 minutos depois do intervalo graças a um chute perfeito do lateral-direito Maicon.

Se contra a Costa do Marfim o Brasil venceu por 3 x 1, quando teve mais espaço para contra-atacar, a seleção não saiu do 0 x 0 com Portugal, num jogo em que os portugueses reforçaram a marcação uma vez que precisavam apenas do empate para se classificar.

Contra o Chile, equipe que tentou atacar o Brasil nas eliminatórias e acabou perdendo tanto em casa (3 x 0) como fora (4 x 2), os jogadores brasileiros acreditam que terão mais uma vez um adversário mais preocupado em se defender.   Continuação...

 
<p>O atacante brasileiro Robinho concede entrevista no domingo. REUTERS/Paulo Whitaker</p>