Lula aposta em goleada do Brasil, cachaça é prêmio de bolão

segunda-feira, 28 de junho de 2010 13:13 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O discurso do técnico Dunga para a partida contra o Chile pela Copa do Mundo pode ser de cautela, mas a maioria dos integrantes do governo federal, entre eles o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aposta em vitória tranquila do Brasil.

O prêmio para quem cravar o placar? Uma garrafa de cachaça.

Durante reunião de coordenação do governo que tinha na pauta as enchentes que mataram dezenas de pessoas no Nordeste, os ministros fizeram suas apostas e o prêmio será uma cortesia do vice-presidente José Alencar, uma garrafa da cachaça Maria da Cruz.

Os palpites foram divulgados aos jornalistas pela assessoria de imprensa do governo.

Entre os mais otimistas para a partida no estádio Ellis Park, em Johanesburgo, estavam Lula e Alencar, além de Gilberto Carvalho, chefe de gabinete do presidente.

O presidente, apaixonado torcedor do Corinthians e famoso por suas metáforas futebolísticas, acredita em vitória de 4 x 1 sobre os chilenos, mesmo placar da vitória do Brasil sobre o Chile também nas oitavas de final do Mundial de 1998, na França. Alencar aposta em goleada ainda maior, 5 x 0 para o Brasil. Já Carvalho cravou vitória brasileira por 3 x 0.

A maioria dos ministros, no entanto, escolheram um placar mais apertado, com uma vitória brasileira por dois gols de vantagem.

Alexandre Padilha (Relações Institucionais), Nelson Jobim (Defesa), Franklin Martins (Secretária de Comunicação Social) palpitaram uma vitória brasileira por 2 x 0. Já Jorge Armando Félix (Gabinete de Segurança Institucional) e Paulo Bernardo (Planejamento) acham que a defesa brasileira sofrerá um gol e vencerá por 3 x 1.

Erenice Guerra (Casa Civil) e Luiz Dulci (Secretaria-Geral) apostam em vitória mais apertada ainda da seleção brasileira e classificação sobre o Chile após vitória por 2 x 1 em Johanesburgo.

O Brasil enfrenta o Chile às 15h30 (horário de Brasília) e, se vencer, pegará a Holanda na sexta-feira em Port Elizabeth.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)