Blatter pede desculpas e promete repensar uso da tecnologia

terça-feira, 29 de junho de 2010 10:03 BRT
 

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - O presidente da Fifa, Joseph Blatter, pediu desculpas na terça-feira pelos erros de arbitragem na Copa, e disse que a entidade voltará a discutir a tecnologia que avisa quando a bola entra no gol.

"É óbvio que, depois das experiências até agora nesta Copa do Mundo, seria um absurdo não reabrir o assunto da tecnologia da linha do gol," disse Blatter a jornalistas. "Não podemos mudar nada a dez jogos do fim da Copa do Mundo, mas vamos ver de novo a tecnologia, a tecnologia da linha do gol, na reunião de negócios da International Football Association Board (o 'poder legislativo' do esporte), em Cardiff, Gales, em julho."

Inglaterra e México foram vítimas de erros grosseiros na disputa das oitavas de final da Copa no domingo, e Blatter disse que conversou com representantes das duas seleções para lamentar os incidentes.

"Pedi desculpas às duas delegações," disse Blatter na terça-feira. "Deploro quando vejo os erros evidentes dos árbitros. Não foi um jogo cinco estrelas para os árbitros".

No jogo Inglaterra x Alemanha, a arbitragem não validou um chute de Lampard que significaria um empate em 2 x 2 - a imagem de TV mostrou que a bola passou mais de 30 centímetros da linha. A Alemanha venceu o jogo por 4 x 1.

No outro jogo do domingo, o assistente do árbitro deixou de anotar um claro impedimento de Carlos Tevez no gol que abriu o placar para a Argentina na vitória de 3 x 1 sobre o México.

Blatter deixou claro que pessoalmente é contra o uso da tecnologia na linha do gol ou de replays de vídeo para decidir lances polêmicos. O International Board já votou contra essas inovações em março.

"O jogo deve ser jogado do mesmo jeito, não importa onde você esteja no mundo," disse Blatter na época em nota no site da Fifa. "A simplicidade e universalidade do jogo é uma das razões do seu sucesso."

"Não importa qual tecnologia é aplicada, no final das contas a decisão terá de ser tomada por um ser humano. Sendo esse o caso, por que remover a responsabilidade do árbitro e dá-la a outrem?"

Há anos a Fifa avalia tecnologias que usam câmeras ou chips na bola para esclarecer lances polêmicos. Após experiências em competições de categorias inferiores, a entidade rejeitou esses sistemas, por entender que nenhum deles era totalmente preciso.

 
<p>Presidente da Fifa, Sepp Blatter, durante coletiva de imprensa em Johanesburgo. Blatter pediu desculpas na ter&ccedil;a-feira pelos erros de arbitragem na Copa, e disse que a entidade voltar&aacute; a discutir a tecnologia que avisa quando a bola entra no gol. 29/06/2010 REUTERS/FIFA/Handout</p>