Chile prepara propostas para manter Bielsa como técnico

terça-feira, 29 de junho de 2010 19:47 BRT
 

Por Claudio Cerda

SANTIAGO (Reuters) - Uma milionária remodelação do complexo desportivo da seleção chilena e uma maior ingerência em todas as categorias estão entre as propostas preparadas pelos dirigentes do futebol chileno para manter Marcelo Bielsa como técnico da seleção após a boa participação na Copa do Mundo.

O Chile foi eliminado na segunda-feira nas oitavas de final, com uma derrota de 3 x 0 frente ao Brasil. O resultado marca o fim do contrato de Bielsa com a "Roja", que sob seu comando, desde 2007, obteve vários resultados históricos.

Após o jogo com o Brasil, o presidente da Associação Nacional de Futebol Profissional, Harold Mayne-Nicholls, confirmou o interesse em manter o treinador argentino na seleção.

"Eu gostaria que, se mudarmos os estatutos da federação, ele continue até a Copa América de 2015", disse o dirigente à imprensa local.

"Queremos apresentar (a Bielsa) um novo projeto, onde ele seja parte importante, que ele se identifique com o que nós queremos e que lhe permita um crescimento profissional, e que nos permita um desenvolvimento do futebol chileno, sobretudo na parte técnica."

Segundo a imprensa local, a ANFP vai propor que o próprio Bielsa projete o novo centro de treinamentos da seleção, já que ele se queixou da qualidade do Complexo Juan Pinto Durán, hoje em uso. A verba para as novas instalações seria de 20 milhões de dólares.

Mayne-Nicholls disse também que o salário da comissão técnica, que hoje totaliza cerca de 1,5 milhão de dólares por ano, pode aumentar, já que a federação recebeu mais recursos por causa da sua participação nas eliminatórias e na Copa.

Bielsa dá sinais de estar à vontade no Chile, onde sua vida discreta e sem luxos é respeitada. Mas ele poderia ficar tentado a voltar ao convívio da família na Argentina, ou a aceitar propostas tentadoras de grandes clubes - ou então pode considerar simplesmente que seu ciclo de trabalho na seleção chilena já terminou.

Após o jogo contra o Brasil, ele disse a jornalistas que não era o momento de avaliar sua continuidade na seleção.