Com 3 machucados, Brasil acusa árbitros de permitirem "maldade"

quarta-feira, 30 de junho de 2010 10:44 BRT
 

Por Pedro Fonseca

JOHANESBURGO (Reuters) - A gravidade revelada nesta quarta-feira da lesão de Elano, que dificilmente voltará a jogar na Copa do Mundo, despertou na seleção brasileira um sentimento de indignação com a omissão da arbitragem do Mundial diante das faltas cometidas por equipes adversárias.

Além de Elano, que foi descartado para o jogo das quartas de final contra a Holanda com um edema ósseo no tornozelo direito, o Brasil também tem Felipe Melo e Julio Baptista recuperando-se de contusões, todas sofridas em faltas cometidas por rivais na primeira fase do Mundial.

"Em nenhum momento você vê jogadores da nossa seleção com o objetivo de maldade de ferir um companheiro de profissão, ao contrário de alguns adversários que vêm contra a gente", reclamou Elano, que deixou o campo carregado em consequência de uma entrada violenta de Ismael Tioté na vitória brasileira sobre a Costa do Marfim por 3 x 1, na segunda partida do Brasil no Mundial.

"Cada dia que passa isso vem acontecendo, e os juízes não fazem nada, às vezes nem falta dão", acrescentou o meia, citando justamente o que aconteceu com ele, quando nada foi marcado após a jogada com o marfinense.

Num jogo truncado contra Portugal, em que ambas as equipes cometeram seguidas faltas e sete cartões amarelos foram distribuídos apenas no primeiro tempo, o Brasil perdeu dois jogadores lesionados, entre eles Felipe Melo ainda na etapa inicial.

O volante levou a pior numa troca de entradas duras com o luso-brasileiro Pepe, e deixou o campo aos 44 minutos após levar um pisão no tornozelo esquerdo. Julio Baptista, por sua vez, foi substituído quase no fim do jogo com uma torção no joelho esquerdo, também em decorrência de uma falta.

"Lamento profundamente que um jogador profissional entre em campo com o intuito de machucar um colega de profissão", afirmou o zagueiro Juan, que em quatro jogos no Mundial cometeu apenas uma falta.

"Cabe aos juízes apitarem o que estão vendo. O prejudicado não pode ser aquele que tenta jogar futebol na bola, tem que ser quem bate, levando o cartão vermelho e sendo expulso de campo", acrescentou.   Continuação...

 
<p>Elano deixa treino em Johanesburgo. A gravidade revelada nesta quarta-feira da les&atilde;o de Elano, que dificilmente voltar&aacute; a jogar na Copa do Mundo, despertou na sele&ccedil;&atilde;o brasileira um sentimento de indigna&ccedil;&atilde;o com a omiss&atilde;o da arbitragem do Mundial diante das faltas cometidas por equipes advers&aacute;rias.29/06/2010.REUTERS/Paulo Whitaker</p>