30 de Junho de 2010 / às 14:56 / 7 anos atrás

Astros eliminados da Copa permanecem nos pôsteres - e só neles

Por Mike Collett

JOHANESBURGO (Reuters) - Imagens de Wayne Rooney, Cristiano Ronaldo e Samuel Eto'o ainda tremulam em pôsteres por toda a África do Sul -- infelizmente para eles, seu único envolvimento nas quartas de final da Copa do Mundo.

Ao lado de nomes como Didier Drogba da Costa do Marfim, Lionel Messi da Argentina e Fernando Torres da Espanha, eles deveriam marcar gols, liderar pelo exemplo e mostrar serem os melhores do mundo.

Mas não foi bem assim.

Messi, que vem fazendo um excelente torneio mesmo sem balançar a rede adversária, e Torres, inexpressivo em campo e também sem gols marcados, ainda estão na competição e enfrentarão Alemanha e Paraguai respectivamente pelas quartas de final.

Eles ainda têm tempo de deixar sua marca no Mundial, mas o tempo se esgotou para Rooney e Ronaldo pelos próximos quatro anos, e talvez definitivamente para Drogba, que terá 36 anos em 2014, e Eto'o, que fará 33 anos.

Rooney sem dúvida teve a pior Copa de todos eles.

Contrariando as expectativas, ele não se mostrou em forma nem conduziu a seleção inglesa, jogando sem sorrir e fazendo uma campanha sofrível, apesar de quase ter marcado um gol na Eslovênia.

Seu ex-colega de Manchester United e jogador mais caro do mundo, Cristiano Ronaldo poucas vezes foi mais do que medíocre em campo.

Ele ensaiou um início de torneio promissor com um chute longo contra o travessão da Costa do Marfim, mas se apagou no resto da partida.

Ronaldo chegou a brilhar no massacre de 7 x 0 na Coreia do Norte, chutando a gol várias vezes e por fim encerrando sua seca de gols na seleção no final do jogo.

Sua participação terminou amargamente depois que ele disse aos jornalistas que "falassem com (o técnico) Carlos Queiroz" quando indagado sobre a razão da derrota para a Espanha, para depois retirar seus comentários em um comunicado.

O espanhol Torres, voltando de uma cirurgia no joelho pouco antes do Mundial, tem sido ofuscado por seu colega de ataque David Villa. que fez quatro gols em quatro partidas.

Torres parece estar sem o ritmo e a força que fizeram dele um terror para os zagueiros no passado e é uma sombra do jogador que marcou o brilhante gol contra a Alemanha na Euro 2008.

De todos os "garotos-propaganda", Messi parece ser o único com chances de escrever seu nome na Copa, como seu técnico Diego Maradona fez em 1986.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below