Dois terços dos espectadores querem replays, mostra pesquisa

quinta-feira, 1 de julho de 2010 12:49 BRT
 

Por Helen Popper

JOHANESBURGO (Reuters) - Cerca de dois terços das pessoas acreditam que os replays de lances polêmicos devem ser usados para evitar erros dos árbitros, como os que mancharam duas partidas de oitavas de final da Copa do Mundo no último final de semana, mostrou uma pesquisa nesta quinta-feira.

Inglaterra e México foram vítimas de gafes grosseiras de juízes no domingo, motivando um pedido de desculpas do presidente da Fifa, Joseph Blatter.

Blatter, que rejeitou o uso de tecnologia na linha do gol três meses atrás, disse que o organismo irá rever o assunto agora, embora tenha descartado o uso de replays em vídeo.

A Nielsen Company, sediada em Nova York, entrevistou 27 mil pessoas em 55 países a respeito de questões relacionadas ao Mundial, incluindo se os árbitros devem usar replays em vídeo para ajudá-los a decidir lances difíceis.

Sessenta e cinco por cento apoiaram o uso dos vídeos na Copa do Mundo. Somente cerca de 10 por cento disseram que a proibição deve permanecer, enquanto o restante se mostrou indeciso, informou o instituto de pesquisa em comunicado.

A tecnologia já é utilizada em outros grandes eventos esportivos como tênis e críquete.

A pesquisa online da Nielsen mostrou que o apoio regional ao uso da tecnologia de vídeo é maior na América do Sul, onde 79 por cento dos entrevistados creem que a Fifa deve mudar de posição.

Na Irlanda, cuja seleção perdeu uma partida eliminatória para o Mundial após um gol polêmico em que o francês Thierry Henry usou a mão, 84 por cento dos consultados disseram que a utilização de vídeos é uma boa ideia.

O instituto disse que a discussão na Internet sobre os replays em vídeo cresceu depois das decisões que eliminaram Inglaterra e México do torneio.