Brasil começará era pós-Dunga com renovação forçada

sábado, 3 de julho de 2010 10:54 BRT
 

Por Pedro Fonseca

PORT ELIZANETH (Reuters) - O futuro da seleção brasileira após a eliminação na Copa do Mundo da África do Sul começará a ser escrito com jogadores diferentes daqueles que foram derrotados pela Holanda por 2 x 1 na sexta-feira, abrindo caminho para uma renovação com vistas ao Mundial de 2014 que será realizado no país.

Do time titular do técnico Dunga, que anunciou após a eliminação nas quartas de final que seu trabalho na equipe chegou ao fim após quatro anos, o mais novo é Robinho, que ainda assim já terá 30 anos quando a Copa for realizada no Brasil.

Além da renovação natural, o próximo treinador que assumir a equipe não poderá contar no primeiro amistoso da seleção depois da Copa -- 8 de agosto contra os Estados Unidos, em Nova York -- com a maioria dos atletas que estiveram na África do Sul. Por determinação da Fifa, os jogadores tem direito a no mínimo 30 dias de férias depois da participação na Copa.

"O próximo jogo terá uma renovação quase que obrigatória, já que os jogadores (que estiveram na Copa) vão estar de férias. Além disso, quem joga na Europa estará em começo de temporada, então a tendência é uma convocação principalmente de quem joga no Brasil," disse a jornalistas neste sábado o chefe de comunicação da seleção brasileira, Rodrigo Paiva, em entrevista do lado de fora do hotel onde a equipe está concentrada em Port Elizabeth.

Apesar de terem se recusado a considerar encerrado o ciclo na seleção depois da derrota para os holandeses, os jogadores mais veteranos da equipe provavelmente disputaram na África seu último Mundial.

Aos 33 anos, o volante Gilberto Silva é o mais veterano da equipe e, mesmo com uma atuação regular no Mundial, é um dos símbolos do estilo de jogo burocrático implantado por Dunga. Os zagueiros Lúcio, 32, e Juan, 31, também não devem permanecer na equipe por mais um ciclo completo de quatro anos, enquanto nomes como Luís Fabiano, Michel Bastos e Felipe Melo decepcionaram na competição e devem perder espaço para jogadores mais jovens.

Neymar de Paulo Henrique Ganso, que já tinham um grande apelo popular inclusive para este Mundial, devem ser certos no início de um novo trabalho visando a próxima Copa. Outros jogadores do time do Santos, campeão paulista com um futebol arte que contrasta com a forma de jogar do time de Dunga, também podem ter chances, como o volante Wesley e o atacante André, este já negociado com o futebol ucraniano.

SEIS AMISTOSOS   Continuação...

 
<p>Robinho embarca no &ocirc;nibus na partida da sele&ccedil;&atilde;o para o Brasil, em Port Elizabeth. 3/7/2010. REUTERS/Paulo Whitaker</p>