Schweinsteiger, o coração da perfeita mistura da Alemanha

sábado, 3 de julho de 2010 21:44 BRT
 

Por Mitch Phillips

CIDADE DO CABO (Reuters) - A estrondosa goleada da Alemanha por 4 x 0 sobre a Argentina no sábado foi conquistada por um time que tem uma mistura quase imperceptível de juventude e experiência.

Após destroçar a Inglaterra por 4 x 1 nas oitavas-de-final com uma devastadora demonstração de contra-ataques, a exuberante Alemanha submeteu a Argentina a uma humilhação inimaginável.

Mesut zil, Thomas Müeller and Sami Khedira foram fundamentais na vitória sobre o atordoado time de Diego Maradona.

O técnico Joachim Loew merece grande crédito por privilegiar os jovens, mas também pode ser também por manter a fé em velhos conhecidos quando muitos questionavam sua competência.

Tanto Lukas Podolski quanto Miroslav Klose fizeram uma temporada apagada em seus clubes, mas ao voltarem à seleção da Alemanha pareceram campeões mundiais.

Os dois gols de Klose em sua 100a aparição internacional enquanto Podolski, com apenas 25 anos em sua 78a partida foi um incansável corredor cuja movimentação deixou a defesa argentina a perseguir sombras.

Müeller, que foi cruelmente suspenso da semifinal contra a Espanha (que bateu o Paraguai por 1 x 0) por causa de um segundo cartão amarelo recebido por tocar a bola com a mão.

Klose marcou o crucial segundo gol e fechou o espetáculo com seu 52 gol pela seleção, seu 14 em Copas do Mundo - igualando-se a Gerd Mueller e ficando atrás apenas de Ronaldo.   Continuação...