Imigrantes ajudam seleção alemã, diz ministro

segunda-feira, 5 de julho de 2010 13:41 BRT
 

BERLIM (Reuters) - Os imigrantes ajudaram a Alemanha a formar um time forte na Copa do Mundo, disse o ministro dos Esportes alemão, Thomas de Maiziere, em entrevista a uma rádio nesta segunda-feira.

Ele afirmou que o grande número de jogadores estrangeiros na seleção é indicativo de uma integração crescente em um país de 82 milhões de pessoas com uma população estrangeira de cerca de sete milhões.

"É um progresso tremendo -- 11 dos 23 jogadores da Alemanha vêm de famílias imigrantes", disse de Maiziere, que também é ministro do Interior, à rádio Deutschlandfunk.

"Eles trabalharam duro, tiveram um grande desempenho. Queriam se tornar cidadãos alemães e o fizeram sem dar as costas a seus países de origem", acrescentou. "Aceitamos isso e eles são tão amados quanto qualquer outro".

"É um exemplo bem sucedido de integração -- um modelo para nosso país".

As famílias de Miroslav Klose e Lukas Podolski são oriundas da Polônia, Mesut Ozil tem ascendência turca, Cacau nasceu no Brasil, Sami Khedira tem pai tunisiano, o pai de Jerome Boateng é de gana e Mario Gomez tem pai espanhol e mãe alemã.

Há décadas a Alemanha recebe trabalhadores convidados, mas até recentemente poucos filhos de estrangeiros atuavam na seleção. Antes da reforma da lei de cidadania de 1999, governos conservadores diziam que o país não era uma terra de imigrantes.

"Aqueles que trabalham duro serão aceitos e aqueles que tiverem fé (na Alemanha) terão oportunidades", declarou de Maiziere.

A seleção alemã vem se abrindo desde a Copa do Mundo de 1998, quando muitos na Alemanha exaltaram a diversidade étnica do time francês que conquistou o troféu depois que o time de alemães exclusivamente branco perdeu de 3 x 0 para a Croácia nas quartas de final.

(Reportagem de Erik Kirschbaum)

 
<p>Mesut Ozil, de origem polonesa (esq), e Lukas Podolski, de ascend&ecirc;ncia turca, comemoram vit&oacute;ria da sele&ccedil;&atilde;o alem&atilde; contra a Argentina nas quartas de final da Copa do Mundo. Os imigrantes ajudaram a Alemanha a formar um time forte no Mundial, disse o ministro dos Esportes alem&atilde;o, Thomas de Maiziere. 03/07/2010 REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>