Maradona deveria deixar a seleção argentina, mostram pesquisas

segunda-feira, 5 de julho de 2010 14:40 BRT
 

BUENOS AIRES (Reuters) - A maioria dos argentinos querem que Diego Maradona deixe seu cargo como técnico da seleção, segundo pesquisas em sites de meios de comunicação divulgadas nesta segunda-feira.

As pesquisas, que contrastam com o apoio que Maradona recebeu no domingo, quando cerca de 20 mil pessoas o aclamaram junto a seus jogadores na volta da África do Sul, mostraram que pelo menos 60 por cento dos argentinos consideram terminado o ciclo do ex-astro como treinador da equipe.

O sonho argentino de conseguir seu primeiro título em 24 anos terminou bruscamente no sábado, quando a Alemanha eliminou a Argentina com uma dura goleada de 4 x 0 nas quartas de final do Mundial.

Os argentinos, que foram às ruas depois de cada partida da primeira fase, na qual sua seleção terminou invicta e com o maior saldo de gols do torneio, sofreram um golpe com a eliminação.

A pesquisa do jornal esportivo Olé, com 142.458 votos, mostrou que 60 por cento opinaram que Maradona devia deixar o cargo.

A porcentagem subiu para 73 por cento no questionário do jornal La Nación, enquanto a pesquisa do Clarín apontou 62,2 por cento de descontentes com o comando de Maradona.

No sábado, pouco depois da derrota, Maradona evitou se pronunciar diretamente sobre sua permanência no posto.

"Tenho que pensar bem (...) Ainda não pensei nisso, tenho que falar com minha família, com os jogadores", respondeu ele quando indagado se renunciaria.

Além do apoio dos torcedores em seu regresso, o carismático Maradona, que tem contrato até 2011, recebeu o respaldo de seus jogadores, que disseram que ele deve continuar apesar da eliminação.

Se Maradona seguir à frente da seleção, o primeiro desafio será em agosto, quando a seleção argentina jogará um amistoso contra a Irlanda, partida preparatória para a Copa América que a Argentina sediará em 2011.

(Reportagem de Luis Ampuero)

 
<p>T&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o argentina, Diego Maradona (dir), depois da derrota nas quartas de final contra a Alemanha. A maioria dos argentinos querem que Maradona deixe seu cargo como t&eacute;cnico, segundo pesquisas em sites de meios de comunica&ccedil;&atilde;o divulgadas nesta segunda-feira. 03/07/2010 REUTERS/Carlos Barria</p>