Novo técnico da França, Blanc diz não ser "o bicho-papão"

terça-feira, 6 de julho de 2010 11:54 BRT
 

PARIS (Reuters) - O novo técnico da seleção da França, Laurent Blanc, disse não ser responsabilidade sua adotar ações disciplinares contra os jogadores envolvidos no boicote ao ex-treinador Raymond Domenech durante a medíocre campanha francesa na Copa do Mundo.

"Acompanhei os eventos com muita tristeza. Fiquei decepcionado com os resultados e especialmente chocado com o comportamento de alguns", declarou Blanc, membro da equipe campeã em 1998, em coletiva de imprensa nesta terça-feira.

"Entretanto, não sou o bicho-papão. Não é minha responsabilidade adotar ações disciplinares".

A reputação da seleção vice-campeã de 2006 ficou tão manchada dentro e fora do campo na África do Sul que o presidente Nicolas Sarkozy ordenou uma reavaliação do futebol francês, depois de conversar com Thierry Henry a pedido do jogador.

Em seguida uma comissão de inquérito foi criada e a pressão forçou Jean-Pierre Escalettes, presidente da Federação Francesa de Futebol (FFF), a pedir demissão.

A FFF adiou a eleição de um novo presidente para o final do ano e só indicará um interino no dia 23 de julho.

Blanc, de 44 anos e apelidado de "O Presidente" durante seus dias de jogador, chegou a ser saudado como um messias depois de seu sucesso como técnico à frente do Girondins Bordeaux, campeão francês em 2009.

Ele iniciou a entrevista coletiva lendo uma declaração que ressaltou seu "comprometimento total" com a seleção e disse que "precisão, disciplina e prazer" serão seu lema.

Entretanto, Blanc foi cauteloso e esquivo diante de perguntas sobre o futuro do capitão Patrice Evra, de Franck Ribery e do defensor Eric Abidal, tidos como líderes informais da equipe.   Continuação...

 
<p>Novo t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o francesa, Laurent Blanc, fala em coletiva de imrpensa em Paris. Blanc disse n&atilde;o ser responsabilidade sua adotar a&ccedil;&otilde;es disciplinares contra os jogadores envolvidos no boicote durante a Copa do Mundo. 06/07/2010 REUTERS/Mal Langsdon</p>