6 de Julho de 2010 / às 18:28 / 7 anos atrás

Jogadores de Gana ganham US$20.000 e viram heróis no país

Por Kwasi Kpodo

ACRA (Reuters) - Os jogadores da seleção de Gana receberam um prêmio de 20.000 dólares cada um nesta terça-feira e foram saudados como vencedores morais pelo compatriota e ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, além do presidente da nação.

"Embora não tenham trazido a taça para casa, conquistaram os corações e mentes das pessoas de boa índole da África e do restante do mundo", declarou o presidente John Atta Mills em almoço de recepção ao time ao anunciar os bônus.

O prêmio é um valor grande num país onde a renda anual per capita gira em torno de 500 dólares.

Annan, diplomata ganense que atuou como secretário-geral da ONU entre 1997 e 2006 e ganhou o prêmio Nobel da Paz em 2001, descreveu a equipe como "grande embaixadora para o esporte --e para a África".

Os ganenses compareceram aos milhares para comemorar a chegada de sua seleção na noite de segunda-feira, lançando jatos de água no avião do time e desenrolando tapete vermelho para a equipe que surpreendeu alcançando as quartas de final da Copa do Mundo.

Os 'Estrelas Negras' se igualaram aos pioneiros Camarões (1990) e Senegal (2002) ao ficar entre as oito melhores seleções do Mundial, mas desperdiçaram uma chance de ouro de se tornar o primeiro time africano a chegar à semifinal ao errar um pênalti no último minuto da prorrogação contra o Uruguai.

O pênalti perdido pelo atacante Asamoah Gyan teria dado um gol a Gana quando as equipes empatavam em 1 x 1. Mas a partida acabou decidida na disputa de penalidades que os uruguaios venceram por 4 x 2.

No entanto, quase não havia amargura em meio aos festejos no aeroporto, e muitos torcedores estavam vestidos com as cores nacionais, o verde, o dourado e o vermelho.

"Eles lutaram com classe, não só deixaram Gana orgulhosa mas todo o continente africano", disse Felicia Acheampong, uma professora de 53 anos que participava das comemorações.

Gana, cuja audácia no Mundial da África do Sul conquistou muitos admiradores, era a única esperança africana ainda na competição depois da eliminação das outras cinco seleções.

"Demos nosso melhor por Gana e pela África, mas a sorte não estava do nosso lado", disse o capitão Stephen Appiah aos seus apoiadores no aeroporto.

"Não sou um profeta, mas quero dizer que vamos nos classificar para a Copa de 2014 e disputar o título", acrescentou.

Reportagem adicional de Daniel Magnowski

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below