Justiça decreta prisão temporária de goleiro Bruno, do Flamengo

quarta-feira, 7 de julho de 2010 09:29 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO (Reuters) - A Justiça do Rio de Janeiro acatou pedido do Ministério Público e decretou a prisão do goleiro Bruno, do Flamengo, e de um amigo e funcionário do jogador, acusados de envolvimento no desaparecimento da ex-namorada do atleta Eliza Samudio, disseram policiais nesta quarta-feira.

A mulher de Bruno, Dayane Rodrigues, também teve prisão decretada e foi detida na madrugada desta quarta-feira em Belo Horizonte.

Eliza afirmara que teve um filho, fruto de um relacionamento com o goleiro do Flamengo.

Policiais concentraram-se em frente à casa do goleiro na zona oeste do Rio de Janeiro, mas receberam informações de que o atleta não estaria na residência. Por isso, um grupo de policiais deixou o local e procura pelo atleta em outros endereços da capital fluminense.

Delegados e agentes da polícia de Minas Gerais, onde foi aberto o primeiro inquérito sobre o desaparecimento de Eliza Samudio, estão no Rio de Janeiro para colaborar com a polícia fluminense.

O Ministério Público do Rio de Janeiro havia pedido no final da noite de terça-feira a prisão temporária do jogador e de seu funcionário Luiz Henrique Romão, conhecido como "Macarrão", após depoimento de um menor de 17 anos que teria contado detalhes sobre o desaparecimento da ex-namorada de Bruno.

O adolescente, que é primo de Bruno, foi levado pela polícia na terça-feira após ser encontrado na casa do goleiro, depois que um tio dele revelou o envolvimento do sobrinho no sumiço de Eliza.

No depoimento, o menor contou que ele e Romão sequestraram Eliza no Rio de Janeiro e a levaram em um carro de Bruno para Minas Gerais, onde o jogador tem um sítio.   Continuação...