7 de Julho de 2010 / às 14:21 / 7 anos atrás

Van Marwijk se iguala a grandes técnicos holandeses do passado

<p>O t&eacute;cnico da sele&ccedil;&atilde;o holandesa, Bert van Marwijk, assiste a partida contra o Uruguai nas semifinais da Copa do Mundo, na Cidade do Cabo, 6 de julho de 2010. Van Marwijk se colocou ao lado dos lend&aacute;rios Rinus Michels e Ernst Happel quando sua sele&ccedil;&atilde;o derrotou a uruguaia. REUTERS/Kai Pfaffenbach</p>

Por Theo Ruizenaar

CIDADE DO CABO (Reuters) - O técnico da Holanda, Bert van Marwijk, se colocou ao lado dos lendários Rinus Michels e Ernst Happel quando sua seleção derrotou o Uruguai por 3 x 2 na terça-feira e chegou à sua primeira final de Copa do Mundo desde 1978.

Os holandeses alcançaram a mesma fase em 1974 sob o comando de Michels e quatro anos depois com Happel, mas sofreram derrotas diante da então Alemanha Ocidental e da Argentina respectivamente.

Normalmente contido, Van Marwijk lutou com as lágrimas ao tentar explicar o que significou para seu time bater a equipe de Diego Maradona.

“É difícil entender, um país tão pequeno, mas não no futebol, chegar à final da Copa do Mundo”, disse Van Marwijk em coletiva de imprensa.

“Começamos dois anos atrás com este time e dissemos desde o início que é preciso acreditar nele, mas foi um longo processo chegar onde estamos agora”.

Van Marwijk admitiu ter se lembrado de seu sucesso no Feyernoord em 2002, quando o clube holandês conquistou a Copa da Uefa.

Na ocasião a equipe não tinha os melhores jogadores no papel, mas ele conseguiu construir um time de verdade que superou adversários de maior peso e deu à Holanda seu mais recente troféu em uma grande competição europeia.

“Não foi fácil, mas enfim o time todo começou a acreditar que é possível vencer o título”, acrescentou o treinador.

“Mas como aconteceu tantas vezes no passado, quando jogamos um futebol bonito temos que ser cuidadosos para não nos dar por satisfeitos cedo demais”.

“Contra o Uruguai começamos bem e em seguida perdemos o controle no meio campo, mas conseguimos retomá-lo”.

Van Marwijk disse que criou disciplina na equipe e que todos os jogadores sabem seu papel, mas também tiveram que ousar jogar seu próprio futebol.

Na partida contra o Brasil nas quartas de final os holandeses mostraram respeito demais pelo adversário no primeiro tempo, mas segundo seu técnico o time teve que se reorganizar na semifinal depois que o Uruguai reagiu ainda antes do intervalo.

“Eu consertei isso no intervalo e depois nos organizamos de forma um pouco diferente e começamos a jogar melhor. Em seguida mostramos ter qualidades individuais para resolver o jogo”, afirmou.

“O alívio foi enorme, maravilhoso, mas ainda não terminamos, ainda temos uma partida para disputar”.

Os holandeses irão enfrentar o vencedor da disputa entre Alemanha e Espanha na final, marcada para domingo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below