9 de Julho de 2010 / às 17:45 / 7 anos atrás

Espanha colhe frutos de influência holandesa no Barcelona

Por Iain Rogers

POTCHEFSTROOM, África do Sul (Reuters) - A Espanha tem uma dívida de gratidão com a Holanda, sua adversária na final da Copa do Mundo, por causa da grande influência holandesa no Barcelona ao longo dos anos, de acordo com o meio-campista Sergio Busquets.

Sete jogadores do Barça atuaram na semifinal contra a Alemanha, incluindo Xavi, Andres Iniesta e Busquets, todos herdeiros em parte do legado de técnicos holandeses que vão de Johan Cruyff a Louis van Gaal e Frank Rijkaard.

A ênfase no ataque, o domínio da posse de bola e os passes rápidos que conseguem penetrar a defesa mais bem organizada são características que remontam ao Time do Sonhos que Cruyff montou no Barcelona no início dos anos 1990.

"Posso falar sobre Van Gaal e Cruyff, que trouxeram jogadores importantes dos times juniores", disse Busquet em uma coletiva de imprensa lotada na concentração espanhola nesta sexta-feira.

"Rijkaard também impôs a filosofia do esquema 4-3-3, que é importante para o Barça e ajudou a seleção", acrescentou o jogador de 21 anos.

O defensor espanhol Carlos Marchena afirmou que ter tantos jogadores oriundos do Barcelona, que ele disse ser atualmente "o melhor time do mundo", é garantia de sucesso.

"Eles se conhecem perfeitamente e é um prazer estar ao lado deles", comentou.

Busquets, muito elogiado por seu desempenho na África do Sul, disse que o holandês Wesley Sneijder será claramente o homem mais perigoso em campo na final.

"Ele é um grande jogador e provou isso em todos os clubes em que atuou, especialmente na Inter (de Milão) nesta temporada", disse ele sobre o meio-campista que ajudou seu time a vencer três títulos este ano.

"Vamos tentar detê-lo como faríamos com qualquer jogador, trabalhando juntos e tentando deixá-lo sem tempo para pensar", acrescentou.

Marchena disse que os holandeses são um time "muito completo".

"Eles defendem muito bem, têm um grande goleiro e os jogadores do meio-campo são muito bem organizados."

"Na frente, têm artilheiros mortais e muito espaço, especialmente no contra-ataque", afirmou.

Espanha e Holanda se enfrentam na final no domingo em Johanesburgo a partir das 15h30 (horário de Brasília), ambas em busca de sua primeira taça do mundo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below